Como o Apple Watch derrubou o mercado de relógios suíços

GettyImages/ SOPA Images
O crescimento de vendas do Apple Watch e o declínio do mercado de relógios suíços reflete o novo desejo dos consumidores de relógios de pulso

Um relatório da empresa Strategy Analytics revelou que, em 2019, o Apple Watch vendeu mais do que toda a indústria suíça de relógios: foram 30,7 milhões de unidades, um aumento de 36% em relação aos 22,5 milhões vendidos em 2018. Enquanto isso, os relógios suíços venderam 21,1 milhões, um declínio de 13%.

Em 2015, ano em que o Apple Watch foi lançado, o presidente da divisão de relógios da LVMH e CEO da Tag Heuer, Jean-Claude Biver, disseram que a indústria suíça não tinha medo do novo produto, porque o dispositivo não precisaria de reparo apenas depois de 80 anos e não poderia ser passado de geração em geração ou ser um símbolo de status. Como sempre acontece quando ocorrem revoluções em um setor, os concorrentes tradicionais não conseguem ver a ameaça e continuam tentando analisá-la de acordo com as variáveis ​​importantes do passado.

LEIA MAIS: Apple vai adiar reabertura de lojas na China

Mais tarde naquele ano, discuti sobre a substituição de tecnologia no setor de relógios. Em maio de 2017, apontei que três anos de vendas crescentes de smartwatches e uma queda consecutiva nas exportações da indústria suíça de relógios representavam uma crise sem precedentes para um segmento que, embora conservasse seus fãs, acabaria como um mercado residual. Como eu disse na época, quando a revolução ocorre, esperar que a inércia de tradição, estilo e outros intangíveis salvem os resultados, não será suficiente.

A reinvenção do relógio de pulso pela Apple não é apenas evidente em seus impressionantes números de vendas: pode ser vista analisando sua dinâmica de uso. Quando alguém adquire um Apple Watch, normalmente diz a si mesmo que o usará às vezes, mas que permanecerá fiel ao seu relógio tradicional favorito. Afinal, a indústria suíça tenta há anos fazer com que vejamos os relógios como um acessório de moda ou colecionável. Para muitos entusiastas de relógios, um relógio suíço era um poderoso símbolo de status.

A experiência mostra, porém, que o Apple Watch é muito mais do que um mero informativo de horas: recebe notificações, avalia sua atividade física, mostra a previsão do tempo, informa se sua equipe venceu e indica inúmeras outras coisas, incluindo se você está sofrendo de uma arritmia. Assim que você começa a usar, percebe que uma coisa é clara: o restante da sua coleção de relógios permanecerá em uma gaveta a partir de agora. E toda vez que você decide tirá-los e usá-los em vez do dispositivo Apple, passa o dia inteiro olhando para o seu pulso em busca de informações que não estão lá. Seu relógio de pulso, esse símbolo de status, com toda a sua complexidade técnica, tornou-se obsoleto. Se você ainda não passou por isso, não se preocupe: é apenas uma questão de tempo. O Apple Watch é simplesmente outro tipo de produto: uma reinvenção do relógio para o ambiente digital.

LEIA TAMBÉM: Apple tem resultado acima do esperado com vendas fortes de iPhone

Nos próximos anos, até os membros exclusivos de um mercado em retração vão amadurecer. Enquanto isso, gerações sucessivas de relógios inteligentes fornecerão recursos cada vez mais atraentes, cuidando de nossa saúde, superando as limitações das versões anteriores e conquistando cada vez mais pessoas. Se você ainda não acredita, se pensa que os números de vendas são irrelevantes ou acha que a indústria suíça de relógios está em um bunker nos Alpes planejando sua vingança, não se preocupe, isso passará com o tempo. Você vai se cansar de esperar.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).