Startup de armazenamento em nuvem Snowflake chega a US$ 12,4 bilhões em valor

GettyImages/ Morsa Images
GettyImages/ Morsa Images

A empresa de armazenamento em nuvem Snowflake pode abrir processo de IPO ainda em 2020, projetado para ser um dos maiores do ano

A empresa de dados Snowflake, que atua no crescente mercado de computação em nuvem, vai se tornar uma das empresas privadas de tecnologia de maior valor do mundo.

A Snowflake chegou a uma avaliação de US$ 12,4 bilhões, com uma nova rodada de financiamento de US$ 479 milhões, liderada pelo Dragoneer Investment Group, investidor em crescimento, com a participação da Salesforce, de acordo com uma fonte com conhecimento da rodada.

LEIA MAIS: Como o Apple Watch derrubou o mercado de relógios suíços

A empresa de nuvem de San Mateo, na Califórnia, anunciou o financiamento na segunda-feira (10). O novo aumento mais que triplica a avaliação anterior da Snowflake, de US$ 3,95 bilhões.

A Snowflake também ganha um poderoso aliado no investidor estratégico Salesforce, a gigante do gerenciamento de relacionamento com clientes com uma capitalização de mercado de cerca de US$ 165 bilhões. Snowflake e Dragoneer se recusaram a comentar o financiamento. Logo após a publicação, um porta-voz da Salesforce confirmou que a empresa estava participando como colíder na rodada de financiamento.

O financiamento vem em um momento em que a Snowflake emerge como uma das empresas que mais crescem na categoria nuvem, formando parcerias e competindo com os principais players, como Amazon, Google e Microsoft.

Ao atuar como um lago de dados virtual ou uma camada intermediária facilmente pesquisável entre os provedores de nuvem e os programas e aplicativos da empresa, a empresa permite que o cliente armazene e faça mais uso de seus dados de maneira intercambiável entre os provedores, uma necessidade e às vezes, um imperativo estratégico, para empresas grandes ou complexas. O software da Snowflake também facilita para as empresas o compartilhamento de dados com parceiros e outras empresas por meio de operações virtuais que impedem que dados potencialmente valiosos deixem fisicamente o controle de longo prazo do cliente.

A Snowflake é administrada pelo veterano da indústria Frank Slootman desde maio de 2019, quando o ex-presidente e CEO da ServiceNow substituiu o ex-executivo da Microsoft Bob Muglia, que dirigia a Snowflake por cinco anos. A empresa foi fundada por Benoit Dageville (que continua sendo seu diretor de tecnologia), Thierry Cruanes e Marcin Zukoski. Em outubro, informou ter 2.500 clientes comerciais. O número foi superior aos 1.400 de fevereiro passado, saiu o último comunicado à imprensa sobre desempenho. Na época, a empresa registrou um crescimento de vendas de 257% ano a ano e listou entre seus clientes empresas conhecidas como DoorDash, Netflix, Office Depot e Yamaha.

Em uma corrida por participação de mercado e muita demanda por investidores, a Snowflake levantou dinheiro agressivamente nos últimos anos. Em janeiro de 2018, a empresa, número 2 na lista da Forbes Cloud 100 de 2019, arrecadou US$ 263 milhões com uma avaliação de US$ 1,5 bilhão em uma rodada liderada pela empresa de capital de risco Sequoia Capital, incluindo ICONIQ Capital e Altimeter Capital. Nove meses depois, a empresa levantou US$ 450 milhões adicionais da Sequoia Capital e uma série de investidores anteriores, incluindo ICONIQ e Altimeter, além da Capital One Growth Ventures, Madrona Venture Group, Meritech Capital, Redpoint Ventures, Sutpoint Hill Ventures e Wing Venture Capital. Com o novo financiamento, a Snowflake deve ter levantado mais de US$ 1,4 bilhão até o momento.

O grupo Dragoneer, que deve liderar esta última rodada,é um investidor de crescimento em uma série de unicórnios de tecnologia, incluindo Compass, Databricks, DoorDash, Gusto, Nubank, Procore, Robinhood e UiPath, de acordo com o rastreador de investimentos PitchBook. O grupo investiu em várias empresas de tecnologia nos anos anteriores à listagem no mercado público, incluindo Atlassian, Etsy, Slack, Snap, Spotify e Uber, segundo o PitchBook. Enquanto isso, a Salesforce já apoiou mais de 300 empresas por meio de seu braço de risco desde 2009, de acordo com seu site, incluindo várias empresas de tecnologia conhecidas como a Automattic (criadora do WordPress), a fabricante de software de recursos humanos Gusto e a unicórnio Stripe, além de algumas empresas que se tornaram públicas como Box, Dropbox e DocuSign.

LEIA TAMBÉM: Amazon compra briga com Trump depois de perder contrato de US$ 10 bilhões

Em uma entrevista em outubro, Slootman disse que seus primeiros meses foram usados para melhorar a eficiência e os processos de vendas da empresa e acrescentou que alguns dos maiores clientes da Snowflake gastam dezenas de milhões de dólares por ano com a empresa.

Perguntado na mesma entrevista sobre seus planos de IPO, Slootman disse que a Snowflake tinha a “escala e a velocidade de se tornar pública”. Se a Snowflake realmente se tornar pública em 2020, poderia ser um dos maiores IPOs do ano.

A conversa sobre uma oferta pública acompanha a empresa há vários anos. “Esta é a empresa que mais cresce em várias gerações”, disse Slootman. “Não consigo encontrar outra fazendo isso no segmento de tecnologia corporativa.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).