A epidemia de coronavírus pode ser o golpe final nas touradas espanholas

GettyImages/ Merbe
GettyImages/ Merbe

Quarentena e bloqueios prejudicaram muito as touradas, conhecidos rituais da Espanha

Geralmente, nesta época do ano, a praça de touros de Las Ventas, em Madri, está lotada, enquanto os “matadores” enfrentam touros letais de meia tonelada em brigas diárias durante o festival anual de San Isidro.

Mas praças em toda a Espanha estão vazias nesta temporada, já que a epidemia de coronavírus manteve matadores e fãs presos em suas casas por semanas a fio.

LEIA MAIS: Waymo amplia rodada de investimento para US$ 3 bilhões

Grandes festivais como San Isidro, a Feira de Abril de Sevilha e San Fermin de Pamplona em julho foram cancelados e os touros foram enviados de fazendas diretamente para o matadouro.

A paralisação pode causar um golpe fatal em um espetáculo polêmico, ao qual o poeta Federico Garcia Lorca se referiu como “a última coisa séria”.

Parte emblemática da cultura espanhola, o evento lutou pela sobrevivência nas últimas décadas. Embora os grandes festivais ainda atraiam multidões, o interesse público nas touradas diminuiu consideravelmente.

Os governos locais cortaram o financiamento para as “fiestas”, os políticos de esquerda se opõem ao evento e um movimento anti-tourada altamente vocal ganhou as manchetes. Algumas cidades e regiões, principalmente a Catalunha, já proíbem touradas, ou “corridas”.

Embora a Espanha tenha começado a diminuir sua quarentena por coronavírus, não está claro se alguma “corrida” ocorrerá antes do final da temporada, em outubro.

“O pior cenário para nós seria não ter touradas o ano todo. Isso seria dramático”, disse à Reuters o criador de touros Victorino Martin. “Só imagine. Já não tivemos nenhum lucro por causa dos bloqueios no inverno, imagine mais um ano como este.”

O setor também emprega milhares de pessoas, desde os matadores e suas equipes até os funcionários das fazendas e das touradas. Eles também estão ameaçados agora.

LEIA TAMBÉM: Novavax recebe doação de US$ 388 milhões para desenvolver vacina contra o coronavírus

Boas notícias para os “antis”

Para os ativistas anti-touradas, a situação das “corridas” deve ser bem-vinda.

“Foram boas notícias, uma das poucas boas notícias trazidas por esta pandemia”, disse Aida Gascon, da organização AnimaNaturalis. “Não apenas por causa de todos os touros que não serão torturados até a morte. Sabermos que eles morrerão de qualquer maneira, pois serão enviados ao matadouro. Ninguém vai se beneficiar desse programa de tortura.”

Ativistas já realizaram manifestações regulares fora das praças, às vezes, até se banhando com sangue falso e se deitando nús no chão. Para eles, é um espetáculo cruel e sangrento que não tem lugar na Espanha moderna.

Tradição cultural

O sindicato espanhol de criadores de animais estima que as perdas da indústria possam exceder € 77 milhões se a temporada for cancelada. Fazendeiros já enviaram centenas de touros para os matadouros, ganhando cerca de 500 euros (US$ 541) cada como carne de açougue. O custo de criação de um touro de combate é de cerca de € 5.000. O estilo de negócio só é viável se os eventos ocorrerem.

“Quatro ou cinco mil touros irão para o matadouro neste ano sem participar de combates e sem nos dar a receita pela qual o bravo animal é criado”, disse Andres Romero, um rejoneador (alguém que luta contra os touros montado em um cavalo altamente treinado).

E TAMBÉM: 5 sinais de que você está pensando demais nas decisões de sua carreira

Os defensores consideram a tourada uma forma de arte, não um esporte.

Os touros são criados especialmente para as “corridas”, criados em fazendas no interior antes de serem enviados para o ringue aos quatro ou cinco anos de idade. A morte deles nas mãos do matador é o clímax do ritual, raramente eles são poupados. “Dedicamos todos os recursos possíveis aos animais desde que nascem até morrerem, para que subsistam e tenham uma boa vida”, disse Romero. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).