Saiba tudo sobre o pronunciamento de Warren Buffett a acionistas da Berkshire Hathaway

GettyImages/ Taylor Hill
Bilionário disse que cometeu erro com ações de companhias aéreas e garantiu que não irá se desfazer de grandes partes de seu conglomerado

O investidor bilionário Warren Buffett, presidente da Berkshire Hathaway, disse aos acionistas ontem (2) que havia vendido todas as ações das companhias aéreas da empresa, admitindo que errou e que o coronavírus havia mudado os negócios em uma “maneira muito relevante”.

Buffett confirmou a venda de todas as suas participações nas quatro maiores companhias aéreas dos EUA: as posições na United, American, Southwest e Delta Airlines acumulavam um valor de mais de US$ 4 bilhões. “O mundo mudou para as companhias aéreas”, disse Buffett, observando que o setor foi “realmente ferido por uma paralisação forçada” devido ao coronavírus.

LEIA MAIS: Warren Buffett discursa sobre crise com otimismo: “Nunca aposte contra os EUA”

Com a pandemia efetivamente interrompendo as viagens aéreas globais, as companhias aéreas dos EUA agora recebem parcelas de US$ 25 bilhões em doações e empréstimos federais.

Buffett disse que a Berkshire originalmente investiu entre US$ 7 bilhões e US$ 8 bilhões em grandes participações nas principais companhias aéreas, mas a empresa não conseguiu nenhum valor perto disso como retorno financeiro.

“Realmente eu estava errado”, disse o Oráculo de Omaha (apelido pelo qual Buffett é conhecido), acrescentando que ele cometeu um “erro compreensível”, devido à desaceleração imprevista do setor. “Não sei se daqui a três ou quatro anos as pessoas voarão tanto como no ano passado”, alertou Buffett. “Há muitos aviões disponíveis.”

“Quando comprávamos (companhias aéreas), recebíamos uma quantia atraente pelo nosso dinheiro”, disse Buffett. “Aconteceu que eu estava errado sobre esse negócio por causa de algo que não foi de forma alguma culpa de nossos quatro excelentes CEOs. Acredite em mim, não há alegria em ser CEO de uma companhia aérea.”

A Berkshire vendeu US$ 6,5 bilhões em ações no mês de abril. O conglomerado de Buffett comprou apenas US$ 426 milhões durante esse período. “Fizemos muito pouco no primeiro trimestre”, ele admitiu. “Isso não é porque pensamos que o mercado de ações iria cair”, explicou. “Acabei de decidir que cometi um erro [com as companhias aéreas]”.

De acordo com uma transcrição da fala de Buffet publicada pelo site da CNBC, o bilionário preferiu não usar o caixa disponível para recomprar ações da Berkshire Hathaway. Ele explicou: “O preço não chegou a um nível que realmente pareça muito melhor para nós do que outras coisas, incluindo o valor da opção em dinheiro, para avançar em grande escala”.

LEIA TAMBÉM: Berkshire, de Buffett, registra perda de quase US$ 50 bi com baque do coronavírus

Mesmo assim, o investidor garantiu que está disposto a fazer algo grandioso no mercado, mas ainda não encontrou uma oportunidade atrativa o suficiente: “Não estamos fazendo nada grande no momento, mas estamos dispostos a fazer. Quero dizer, você poderia me procurar na segunda-feira de manhã com algo que envolvesse US$ 30 bilhões ou US$ 40 bilhões ou US$ 50 bilhões. E, se realmente gostamos do que estamos vendo, faríamos acontecer.”

Sobre a situação atual do mercado, o Oráculo de Omaha aconselhou: “Quando algo como a pandemia atual acontece, é difícil mensurar o impacto. É por isso que você nunca deve usar dinheiro emprestado, pelo menos na minha opinião, em investimentos”.

Buffett ainda pediu calma para investidores: “Talvez minha visão esteja enviesada, mas não acredito que alguém saiba como o mercado estará amanhã, na próxima semana, no próximo mês, no próximo ano. Sei que os Estados Unidos avançarão com o tempo, mas não sei ao certo. Isso é algo que aprendemos em 10 de setembro de 2001. Aprendemos há alguns meses em termos de vírus. Tudo pode acontecer em termos de mercados. E você pode apostar na América, mas terá de ter cuidado com a forma como aposta. Simplesmente porque os mercados estão imprevisíveis.”

Por fim, o investidor bilionário garantiu que não irá quebrar seu conglomerado: “Se você vendesse as várias subsidiárias da Berkshire, incorreria em uma quantia muito significativa de imposto no nível corporativo antes que qualquer quantia fosse distribuída aos acionistas”.

E TAMBÉM: Jeff Bezos e 9 outros bilionários perdem US$ 26 bilhões com queda da bolsa

Apesar disso, ele se disse pronto para recusar as ofertas que virão: “Agora vou lhe dizer que todo mundo no mundo vai propor algo e dizer ‘é maravilhoso para os acionistas e que as taxas são ótimas. Meu plano foi pensado e implementado há muito tempo, e isso não apenas garante que todo o dinheiro ganho na Berkshire acabe indo para vários filantropos ao longo do tempo, mas também mantém os lobos afastados.”

A Berkshire Hathaway registrou um enorme prejuízo líquido de quase US$ 50 bilhões no primeiro trimestre. A liquidação do mercado durante o coronavírus que ocorreu no final de fevereiro e durante a maior parte de março afetou significativamente os negócios da empresa. O caixa de Buffett aumentou de US$ 125 bilhões para US$ 137,3 bilhões, enquanto o bilionário continua procurando uma aquisição de grandes proporções.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).