UE vai banir importações de ferro e aço da Rússia e proibir exportações de artigos de luxo

Além de revogar status econômico privilegiado de Moscou, proibir exportações de bens de luxo do bloco é golpe direto contra as elites locais..

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Sergey Guneev/Reuters
Sergey Guneev/Reuters

A UE tem promovido sanções contra bilionários e oligarcas russos ligados ao governo do presidente Vladimir Putin

Acessibilidade


A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, afirmou hoje (11) que a União Europeia vai ampliar as sanções econômicas contra a Rússia, proibindo o uso de criptoativos e a exportação de bens de luxo da zona do euro para o país.

Além disso, seguindo o exemplo dos Estados Unidos e outros aliados do G7, von der Leyen também disse que o status econômico privilegiado de Moscou seria suspenso. Este é o quarto conjunto de sanções contra Moscou por sua invasão à Ucrânia no mês passado.

A escolha de proibir exportações de bens de luxo do bloco para a Rússia foi concebido como um golpe contra as elites locais.

“Amanhã, tomaremos um quarto pacote de medidas para isolar ainda mais a Rússia e drenar os recursos que ela usa para financiar essa guerra bárbara”, afirmou a presidente da Comissão Europeia.

A revogação do status comercial de “Nação mais Favorecida” da Rússia abre a porta para a proibição ou imposição de tarifas punitivas sobre produtos russos e colocar o país no mesmo patamar que a Coreia do Norte ou o Irã.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Como primeiro passo, a UE proibirá as importações de bens do setor siderúrgico.

Von der Leyen disse, em um comunicado, que o bloco pretende suspender os direitos da Rússia nas principais instituições multilaterais, como o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, assegurando que o país não possa acessar crédito nessas entidades.

Leia mais: Bilionários russos dão jeitinho profissional para escapar de sanções

O principal diplomata da UE, Josep Borrell, acrescentou mais tarde que incluiria mais oligarcas, empresários e empresas russos na lista de restrições.

Por fim, a UE proibirá novos investimentos europeus no setor de energia da Rússia.

Compartilhe esta publicação: