Os 5 melhores destinos de viagem para quem é fã de uísque

Conheça as histórias e aprecie o melhor de destilarias renomadas com roteiros da Irlanda aos EUA

Brad Japhe
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Alguns destinos de viagem pelo mundo têm programações especiais para os amantes de uísque

Acessibilidade


Se você é um amante de uísque ou quer presentear alguém que seja, temos uma lista que vai muito além de uma garrafa do destilado. Para quem busca algo um pouco mais substancial, uma alternativa será muito bem recebida: viagens com tema de uísque.

Sabemos o que você está pensando… “Isso é consideravelmente mais caro do que apenas uma mera garrafa!” Bem, isso depende da garrafa que você estava planejando comprar. As férias certamente não são baratas e não ajuda que muitos dos melhores uísques do mundo estejam sendo produzidos em terras distantes. Ainda assim, se você planejar uma viagem adequadamente e distribuir o custo entre outras pessoas, pode ser algo razoável – e que gerará memórias que durarão muito mais do que qualquer líquido na prateleira de bar em casa.

Leia mais: Saiba quais são os melhores uísques single malt de 2022

Confira a seguir os roteiros de viagem que são como peregrinações obrigatórias para os fãs de uísque ao redor do mundo:

Uísque e maravilhas no País de Gales

Getty Images

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Uísque galês? Sim, existe – e é espetacular. O extremo sudoeste da Grã-Bretanha tem uma história de fabricação de uísque que remonta a séculos. De fato, um produtor de uísque galês particularmente proeminente emigrou para os Estados Unidos em 1783 e começou a destilar no que hoje é Louisville, Kentucky. Seu nome: Evan Williams. No entanto, a arte antiga foi perdida logo depois, e não foi até o ano de 2000 que Penderyn reviveu a categoria como a primeira nova destilaria no País de Gales desde 1894.

Hoje você pode fazer passeios pelas instalações e se aproximar de seu exclusivo Faraday Still – uma espécie de híbrido de vaso/coluna que foi projetado por um descendente direto do lendário cientista vitoriano Michael Faraday. Isso é o suficiente para satisfazer os geeks na multidão.

Mas o que é ainda mais satisfatório é o líquido que produz: leve na língua, mas ainda rico em sabor. O destilado versátil é acentuado através de uma série de acabamentos especiais. Destacam-se o Legend, que passa algum tempo em ex-barricas de vinho Madeira, bem como o Celt. Terminado em barris turfados antigos, é uma bebida ideal para quem gosta de mergulhar suavemente no lado mais defumado do uísque.

Mas quando o assunto é comida, dá para mergulhar de cabeça por uma estreita estrada agrícola até o The Red Lion Inn: um pub familiar que ocupa uma estalagem do século 12. Desfrute de uma cerveja – ou uma dose do uísque local – ao lado de uma alcatra perfeitamente grelhada de cordeiro galês. Tudo isso enquanto se maravilha com as colinas ondulantes e os cemitérios medievais que os cercam.

Para pernoitar, reserve um quarto no Ty Newydd Country Hotel, de três estrelas, nos arredores da cidade. Passe o dia seguinte caminhando por alguns dos 1.300 quilômetros quadrados de Brecon Beacons — um dos três Parques Nacionais do País de Gales. Em seguida, passeie por pequenas estradas rurais em direção à costa e à capital de Cardiff. Um bom e velho pub crawl o aguarda!

Leia mais: Garrafa com 325 litros de uísque Macallan pode quebrar recorde em leilão

Lar urbano do Bourbon

Divulgação

Fazer bourbon – tipo de uísque americano feito com pelo menos 51% de milho – tende a ser uma prática geracional em Kentucky, nos EUA. O que significa que é particularmente interessante explorar essa região junto com a própria família. Não muito tempo atrás, essa exploração exigiria o aluguel de um carro, saindo da cidade de Louisville e chegando à histórica Bourbon Trail. Mas nos últimos anos a produção de uísque voltou ao centro da cidade. E assim, para quem for aficionado de uísque americano, um fim de semana de felicidade está à espera – por apenas 15 minutos de táxi do aeroporto de Louisville.

Reserve um quarto no elegante Hotel Distil, bem no coração da revitalizada Whiskey Row. A partir daqui, é possível caminhar por até cerca de meia dúzia de experiências de destilaria – as novas opções do centro de Old Forester estão literalmente no mesmo quarteirão.

No topo da lista de experiências imperdíveis estão os coquetéis criativos no bar do 2º andar acima do Michter’s Fort Nelson; uma tarde na recém-expandida destilaria Angel’s Envy, onde se pode apertar a mão do fabricante de uísque de terceira geração, Kyle Henderson – ou seu pai, Wes; e uma degustação de preciosidades vintage na Justins’ House of Bourbon. Para o jantar, saboreie alguns pratos locais do Doc Crow’s, que possui uma seleção de ostras surpreendentemente vasta, ou o inimitável Proof On Main, dentro do 21c Hotel. Tudo isso apenas no primeiro dia.

Belfast e Bushmills

Getty Images

O uísque irlandês tem sido a categoria de destilado que mais cresce nos EUA por vários anos consecutivos. Grande parte desse crescimento é impulsionado pelo o que sai da República – rótulos como Jameson, Redbreast, Teeling, Waterford. Mas a destilaria mais antiga da Ilha Esmeralda e, de fato, do mundo, fica na Irlanda do Norte. E Bushmills é um salto fácil fora da capital de Belfast, que é digna de ampla exploração de uísque por conta própria.

Hospede-se no Merchant Hotel, onde é possível desfrutar de coquetéis no bar de tendências que deu origem ao Dead Rabbit em Nova York. Em seguida, passeie pelo bairro da Catedral, lar de muitas das casas de bebidas alcoólicas mais famosas da cidade.

Uma viagem de uma hora em direção ao Canal do Norte o levará diretamente aos braços calorosos e acolhedores de Old Bushmills. O orgulho do Condado de Antrim originalmente recebeu sua licença para destilar em 1608. Hoje, hospeda passeios diários e oferece engarrafamentos especializados do Single Malt irlandês mais premiado do planeta.

Leia mais: Os 6 melhores uísques americanos de 2022

Quem é fã do produto, será esperto ao adquirir a nova Coleção Causeway. Nomeado por conta do vizinho Giant’s Causeway, esses lançamentos extras antigos passaram uma quantidade significativa de tempo em barris secundários. A Barrica da Madeira 1991, como excelente exemplo, passou um total de 16 anos na sua tanoaria homônima após um período inicial de 13 anos em uma combinação de ex-barris de bourbon e carvalho. Apenas uma dose já vale a viagem.

Mas na verdade há muito mais para ver (e saborear) nesta parte do mundo. Garanta a estadia no Lough Erne Resort, nas proximidades, ou providencie tudo pela Lang Atholl Experience. O operador turístico sob medida é especializado em explorações da Irlanda e da Escócia, o que geralmente equivale a um pouco de uísque ao longo do caminho. “De Belfast é apenas uma curta viagem de carro para as destilarias Copeland, Echlinville, Hinch, Radeon Estate e Killowen”, explica o diretor administrativo Ross Corcoran. “Durante uma estadia de 2 noites na capital da Irlanda do Norte, você pode facilmente construir um itinerário que envolve 8 fabricantes de uísque diferentes – cada um oferecendo seu próprio estilo e cenário distintos.”

Cape Breton Island: o mais próximo da Escócia sem atravessar o lago

Getty Images

Uma vez que você chegar à parte nordeste do Canadá, é fácil entender o porquê dela ser chamada de Nova Escócia. O verde se desenrola no mar distante, as fazendas ficam no topo dos lagos, povoados com nada além de ovelhas e gado. No momento em que encontrar o caminho para a Destilaria Glenora, você verificará seu GPS para garantir que não entrou em um buraco de minhoca em Speyside, na Escócia. Tudo isso para dizer que este é o mais próximo que se pode chegar do país escocês sem sair do continente americano.

Quando foi fundada em 1989, a Glenora, inspirada no Velho Mundo, tornou-se a primeira produtora de single malt do Canadá. O retorno espiritual à sua herança escocesa é tão profundo que a Scotch Whisky Association até os processou pelo uso da palavra Glen (um caso que foi sumariamente arquivado). Uma diferença notável é que, ao contrário da maioria das destilarias escocesas, você pode realmente se hospedar no local.

Então reserve um quarto em um de seus chalés na encosta, com vista para a propriedade de 80 hectares. As visitas e degustações acontecem diariamente, passando pela destilaria e entrando no armazém de envelhecimento em barricas. O visitante tem acesso a uma admirável versão de um pub britânico, que serve peixe e batatas fritas excepcionais e toca música tradicional até tarde da noite. Antes de dormir, ainda pode experimentar charutos cubanos personalizados, embebidos no mesmo malte com o qual ele será harmonizado.

Leia mais: Melhor uísque escocês de 2022 custa R$ 23 mil

Área da baía de São Francisco

Getty Images

A frase “destilados artesanais” é usada com tanta frequência hoje que quase se torna constrangedora. Portanto, é difícil imaginar que quando a St. George Spirits começou a destilar em pequenos lotes há 40 anos, eles foram acusados ​​de serem sonhadores imprudentes. De início com “eau-de-vies”, começaram então a engarrafar uísque americano single malt muito antes que os locais estivessem familiarizados com o conceito. Hoje eles permanecem na vanguarda do comércio. Como diz o mestre destilador Lance Winters, “se é só você que está fazendo isso, você é louco. Mas se os outros também fazem, é um movimento”.

Bem, certamente há um movimento para se maravilhar nos dias de hoje. E a área da baía de São Francisco continua sendo um antro confiável de inovação. Reserve um quarto no histórico Claremont Club de 4 estrelas, em Berkeley Hills, e planeje vários dias para descobrir e acompanhar a evolução do uísque artesanal. Comece com uma excursão e degustação em St. George, onde se pode saborear um pouco de Baller Whiskey — “uma versão da Califórnia do estilo japonês Scotch whisky” – enquanto aprecia o horizonte de São Francisco diretamente do outro lado da água.

Em seguida, atravesse a água (por ponte ou balsa) para explorar a Hotaling & Co. – anteriormente conhecido como Anchor Distilling – no bairro de Portrero Hill, em SF. Aqui ele desfrutará de um centeio 100% maltado, que foi o primeiro exemplar moderno da categoria a ser destilado inteiramente em potes de cobre. Muito parecido com o pessoal de St. George, o mestre destilador Bruce Joseph foi rotulado de radical quando começou a fazer isso em 1993. Hoje ele é reverenciado como uma lenda da indústria.

O próximo destino é um tour pelo Seven Stills, na sempre ensolarada área de Mission Bay. Parte cervejaria, parte destilaria, por lá se cozinha todos os tipos de sabores descolados em forma de garrafa. “Whipnose Whiskey” é um líquido firme e amargo, fervido de uma IPA de mesmo nome. “Eau De Oyster” é um uísque feito com moluscos do norte da Califórnia, proporcionando uma suave tonalidade marítima.

No segundo dia, vá até a Ilha Mare, do outro lado do rio Napa, saindo de Vallejo. Escondida atrás da fachada de tijolos de um local histórico de fabricação de navios está a Savage & Cooke. Um dos tours mais excêntricos de destilarias que existem, sua vibração de vanguarda deve-se ao espírito criativo do fundador Dave Phinney – um prodígio do mundo do vinho que esculpiu sua reputação desafiando o status quo.

Depois de apreciar a degustação (e as instalações de arte), coma um frango frito de alto nível do restaurante no local. Certifique-se de sair no início da tarde para se antecipar ao notório tráfego da área da baía… E para voltar a Berkeley a tempo para o happy hour.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: