Cozinha brasileira pode ganhar curso em outras unidades do Cordon Bleu, diz diretor de São Paulo

Instituto francês acaba de lançar aulas focadas na gastronomia nacional na escola da capital paulista.

Forbes Taste, por Juliana Ventura
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

Estrutura do Diplôme de Cozinha Brasileira no Le Cordon Bleu será a mesma do Le Grand Diplôme

Acessibilidade


Desde 2018 com uma unidade no Brasil, o Cordon Bleu, um dos maiores institutos de artes culinárias do mundo, anunciou recentemente que vai oferecer a partir de maio um curso dedicado à gastronomia brasileira na unidade de São Paulo. As aulas devem abordar história, ingredientes e, claro, as muitas receitas da culinária nacional com as técnicas e metodologia da renomada escola francesa.

Segundo Patrick Martin, diretor da Le Cordon Bleu São Paulo, o curso pode chegar a outras unidades do instituto. “Nosso objetivo é lançar o Diplôme de Cozinha Brasileira aqui para que depois ele possa ser implantado possivelmente em Paris, Londres, na Ásia, onde for. A ideia é que outros países descubram a comida brasileira. Em Paris, por exemplo, estamos abrindo agora um curso semelhante de Cozinha Asiática. Podemos fazer o mesmo com o Brasil”, afirma.

VEJA TAMBÉM: Garrafa única do conhaque Martell L’Or está disponível no Brasil por R$ 18 mil

Martin afirma que os módulos deveriam ter sido lançados no ano passado, mas a estreia foi adiada com a pandemia. “Em todos os países nos quais o Le Cordon Bleu atua que têm uma cultura culinária rica, uma das primeiras medidas que tomamos é criar um curso em torno da história da comida tradicional local. Isso já aconteceu no Japão, na Tailândia e no México, por exemplo. Queremos contribuir para divulgar essas culturas, criar interesse e tendências com estas culinárias pelo mundo”, conta.

A estrutura do Diplôme de Cozinha Brasileira segue a mesma do Le Grand Diplôme, que dá aos alunos formação completa de cozinha e confeitaria, em níveis básico, intermediário e superior. As inscrições estão abertas, e o valor gira em torno de R$ 54 mil, com material incluso e turmas de no máximo 16 pessoas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Telma Shiraishi lança Bentô Box

Divulgação

As marmitas japonesas, os bentôs, são o carro-chefe do Bentô Box, novo negócio do casal Telma e Marcelo Shiraishi. A marca nasceu em um ambiente digital e foi inspirada no desejo da chef em oferecer refeições práticas e cuidadosamente elaboradas, preparadas com os mesmos ingredientes usados em seu restaurante Aizomê, mas em embalagens modernas e descontraídas. O menu é apresentado em formatos pequenos e grandes e oferece opções como o yakiniku (R$ 39 o pequeno), carne finamente fatiada salteada com cebola, molho especial da casa e gergelim. A seção de sobremesas inclui ice moti, uma espécie de docinho de moti recheado de sorvete em sabores diversos (R$ 11 a unidade), e o choux cream (R$ 12 a unidade).

Serviço
Via iFood. Segunda a sábado, das 11h às 14h30 e das 18h às 21h30; domingo, das 11h às 15h

***

Vinícola Salton em busca sustentabilidade total

Divulgação

Em um projeto desenvolvido em parceria com a Universidade de Caxias do Sul (UCS), a vinícola centenária de Bento Gonçalves pretende se tornar a primeira empresa do setor a atingir a neutralidade em carbono em toda a sua cadeia produtiva até 2030. O programa tem três frentes de trabalho focadas na criação de um inventário de emissão de gases de efeito estufa que identificará o impacto ambiental dos produtos, ao mapear as melhores práticas e propor ações mitigatórias para preparar a empresa para reduzir novas emissões e compensar as que não podem ser evitadas. A pesquisa é parte do Núcleo de Inovação Pesquisa & Desenvolvimento criado em 2020 pela Salton para unificar todos os projetos que ocorrem em paralelo dentro da empresa que envolvem as áreas de viticultura, enologia, produção e distribuição.

***

Novidades promissoras

Bahl

Divulgação
São Paulo e Rio de Janeiro ganharam recentemente novidades gastronômicas promissoras. Em Ipanema, no Rio, o restaurante Bahl remete aos balneários europeus e mistura cozinha contemporânea e nipônica. Comandado por João Diniz, o restaurante buscou chefs jovens que entendessem a filosofia da casa, com uma cozinha descomplicada, contemporânea e de qualidade. Do lado dos balneários, o menu oferece uma burrata cremosa com pesto de rúcula, neve de castanha do pará, tataki de atum e tangerina (R$ 42) e dadinhos de tapioca com mel de maracujá levemente picante (R$ 24, 8 unidades), entre outras opções. Com referências japonesas, algumas das sugestões do menu incluem carpaccio de polvo (R$ 43) e atum em crosta de pistache (R$ 74). As sobremesas também são viagens entre as duas regiões com uma mousse de graviola (R$ 28) e sagu de tapioca com coco, calda de frutas vermelhas (R$ 28).

Serviço
Rua Aníbal de Mendonça, 112, Ipanema, Rio de Janeiro (RJ), tel: (21) 3986-8118. Todos os dias, das 12h à 0h. Menu executivo de segunda à sexta (exceto feriados), das 12h às 16h.

Mangaba

Divulgação
Sob o comando do chef Antônio Albaneze, o Mangaba valoriza a combinação e a origem dos ingredientes brasileiros com técnicas de alta gastronomia no preparo dos pratos. Em tupi-guarani o nome do restaurante significa “coisa boa de comer” e é também o lema do novo estabelecimento localizado em Moema. A origem do chef possibilita que o Mangaba realize um encontro de sabores e ingredientes em cada prato, com receitas autorais e sendo que algumas saíram do caderninho escrito à mão por sua avó. O restaurante tem uma opção inusitada com pastéizinhos de jacaré com cream cheese (R$ 42, 6 unidades). Para os vegetarianos e veganos, a sugestão é a moqueca de banana-da-terra (R$58). Durante a semana, o estabelecimento disponibiliza um menu executivo (R$ 65).

Serviço
Rua Canário, 1301, Moema, São Paulo (SP), tel. (11) 97597-6171. Segunda a domingo: das 12h às 20h, sujeitos à alterações durante a pandemia (verificar no perfil do Instagram).

Luce

Divulgação
O Luce, localizado na rua Oscar Freire, apresenta cozinha italiana moderna, que revisita o receituário e as referências clássicas de diversas regiões da Itália. O restaurante é comandado pelos empresários Renato e Daniella Neves e Lalo Zanini, que levam para o cardápio versões refinadas de pratos simples das osterias. Entre as opções, as pizzas recebem atenção especial, já todos os ingredientes-chave vêm de Nápoles. No Luce, os clientes podem provar a tradicional burrata (R$ 58), acompanhada de mortadela de bolonha com pistache, pesto, limão siciliano e rúcula. Uma das sobremesas é o limonesù (R$ 28), combinação de biscoito champanhe, banhado em calda de frutas do bosque, com creme mascarpone, limoncello da casa, framboesa e pistache. Na hora do almoço, o estabelecimento também oferece um menu executivo (R$ 78).

Serviço
Rua Oscar Freire, 45, São Paulo (SP), tel. (11) 99457-4554. Todos os dias das 12h às 22h. Almoço executivo das 12h às 16h.

Quimera Sandwich & Co.


O Quimera Sandwich & Co., da família do Caledonia Whisky & Co, é uma sanduicheria dos no formato dark kitchen, que aposta em receitas autorais inspiradas na combinação de sandubas clássicos de diferentes países. O nome do local foi inspirado na figura mitológica homônima que sugere a união de referências gastronômicas diferentes em cada sanduíche. Criado pelo chef Valter Souza, o menu inclui combinações como o Pulled Chicken Bao (R$ 27), mistura da culinária norte americana com a chinesa e o Shawarma-Li (R$ 35), um sanduíche vegano com referências libanesas e chinesas.

Serviço
Via Rappi. Terça a Sábado, das 17h às 22h.

Colaborou Ana Cipriano

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: