Dia do Hambúrguer: 9 versões especiais do sanduíche

A Forbes selecionou restaurantes que servem interpretações mais gastronômicas do clássico, com carnes nobres e ingredientes diferentes

Giovanna Simonetti e Mariana Weber
Compartilhe esta publicação:
divulgação
divulgação

Big K-Duplo, hambúrguer de wagyu do Beefbar

Acessibilidade


Hambúrguer é um favorito ao redor do mundo. No Brasil, a popularização foi exponencial na última década: entre 1994 e 2014, houve um aumento de 575% em seu consumo, segundo dados do Instituto de Gastronomia. Mais recentemente, de março de 2020 a março de 2021, as vendas cresceram 140%, de acordo com a ABF (Associação Brasileira de Franchising). 

Para comemorar esse clássico, criou-se o Dia do Hambúrguer, comemorado hoje (28). A Forbes aproveitou a data para fazer uma seleção de restaurantes que servem versões que vão além do básico, utilizando cortes nobres, além de pães, queijos e molhos especiais. Confira a seguir: 

Leia mais: Dia do Queijo: 17 pratos com queijo para experimentar em 2022

Com massa de pizza

Divulgação

Restaurante do grupo Fasano especializado em sanduíches italianos e pizzas, o Gero Panini tem uma versão de hambúrguer que, em vez de pão, usa massa de pizza para envolver a carne (R$ 61). Disponível apenas na unidade do Shops Jardins, em São Paulo. 

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

De carne dry-aged

Divulgação

No Cór Gastronomia, restaurante de carne em São Paulo, o foco é o dry-aged, processo de maturação dos cortes a seco que confere concentração do sabor, quebra das fibras e maciez da carne. Além dos pratos com cortes bovinos inteiros e altos, a técnica especial é usada no hambúrguer da casa, montado no pão de brioche com aioli, bacon e queijo. Na semana do Dia do Hambúrguer, o Cór também serve uma versão com wagyu, raça bovina japonesa que é considerada a carne mais nobre e valiosa do mercado. Ambos os lanches saem por R$ 58, com maionese da casa e batata chips artesanal ou salada. 

De wagyu, com queijo tulha

Mário Rodrigues / divulgação

Recém-aberto no Allianz Parque, em São Paulo, o restaurante Braza permite assistir a shows e jogos enquanto se provam as receitas preparadas em uma grande parrilla pelo chef Giovanni Renê, vencedor da última edição do Top Chef. Ele prepara três hambúrgueres com costela de wagyu e queijos artesanais brasileiros (servidos por R$ 52, acompanhados de fritas). O da foto leva queijo tulha temperado com pimenta preta; há ainda um com queijo figueira e cebola caramelizada e um com queijo alvorada e caqui fermentado.

De porco e camarão no pão de mandioquinha, com molho de tucupi e jambu

Divulgação

Sob comando de Bruno Hoffmann, chef destaque da temporada de 2020 do reality “Mestre Do Sabor”, o Caos Brasillis foi aberto no ano passado em São Paulo e serve uma comida regional brasileira reinventada, com versões autorais de clássicos como galinhada, virado à paulista e moqueca baiana. Entre as opções de entrada está o Tacacá Burger (R$ 46, duas unidades), feito de porco e camarão no pão de mandioquinha, com molho tártaro de tucupi e jambu (planta da região Norte conhecida por deixar a língua dormente). Para acompanhar, chips de tubérculos. 

De wagyu, com ou sem molho de trufas

Divulgação

Especializado em carnes nobres, o Beefbar, com 12 unidades pelo mundo – incluindo Mônaco, Dubai e Londres -, serve em São Paulo duas versões de hambúrguer de wagyu: o trio Mini Big K (R$ 37), cada um com molho de trufas, chimichurri e molho secreto, e o Big K-Duplo (R$ 59), com bacon, queijo, alface e tomate. 

Com pão de massa de pretzel

Divulgação

O Manga, de Salvador, serve receitas autorais do casal Katrin e Dante Bassi – com passagens pelo D.O.M de Alex Atala. O hambúrguer leva pão alemão laugenbrot (de massa igual à de pretzel) com gergelim, hambúrguer de 140g (um blend de brisket, costela e contra-filé), tomate caqui, alface romana, queijo cheddar inglês envelhecido e molho de emulsão de caldo de costela, cornichon e cebola. Acompanha batata frita e aioli (R$ 56) e é servido apenas às quartas-feiras.

Leia mais: Em busca da pizza perfeita: especialistas dão 5 dicas para virar expert no assunto

Peruano, com panceta e batata-doce

Divulgação

Entre os pratos típicos peruanos do restaurante do chef Enrique Paredes em São Paulo, o Amazo, está o hambúrguer Chicharrón (R$ 35), que leva panceta crocante laqueada, salsa criolla, aioli da pimenta rocoto acebichado, folhas de agrião e batata doce crocante. 

Com creme carbonara

Divulgação

O grupo gastronômico Nou tem um braço só de hambúrgueres – disponível apenas para delivery na capital paulistana -, com algumas opções elaboradas para quem quiser sair do tradicional. Destaque para o Carbonara (R$ 36), com pão de brioche, carne de 120 gramas, creme carbonara da casa, bacon crocante, ovo frito, cebola caramelizada e azeite de trufa. Outra pedida é o Especial (R$ 45), que, além da carne, leva queijo brie empanado, maionese especial, picles, cebola e cogumelos portobello trufados. 

De polpetone recheado, com catupiry trufado

Ricardo Dangelo / Divulgação

No Pappagallo Cucina, em São Paulo, o chef Pedro Mattos prepara como entrada o Mini Polpetone Burger (R$ 29), recheado com mozzarella e acompanhado de molho de tomates frescos e catupiry trufado. Vem em brioche amanteigado.

Compartilhe esta publicação: