Impact 50: os maiores investidores de impacto social dos EUA

Frederic Steves/Getty Images
Frederic Steves/Getty Images

Bill Gates e Melinda Gates

Há uma década, quando o investimento de impacto estava engatinhando, a visão predominante entre os investidores era de que havia uma compensação inerente entre fazer o bem e gerar lucros. Atualmente, esse pensamento parece estar mudando.

Os ativos sob gestão dedicados a investimentos de impacto –definidos como investimentos em empresas que pretendem gerar um retorno financeiro, bem como um impacto social ou econômico positivo e mensurável– cresceram para US$ 715 bilhões em dezembro de 2019, ante US$ 502 bilhões em 2018, segundo a Global Impact Investing Network. Quase 90% dos 294 investidores de impacto pesquisados ​​pela organização neste ano apontaram que atenderam ou excederam suas expectativas financeiras sobre seus investimentos.

LEIA MAIS: Rafael Segrera, da Schneider Electric, sobre o papel da sustentabilidade na reinvenção das empresas pós-Covid-19: “Agora é a hora de agir”

Para compilar a lista Impact 50 dos investidores de impacto mais notáveis, a Forbes identificou os norte-americanos que investem em empreendimentos e buscam ter um impacto social ou ambiental positivo tanto no mercado interno como no mundo.

Pesquisamos bilionários dos Estados Unidos, bem como membros das listas da Forbes dos atletas mais bem pagos, das celebridades mais bem pagas, Under 30 e das mulheres self-made mais ricas dos Estados Unidos. Além disso, conversamos com especialistas na área de investimento de impacto. Para compor a lista, os investidores deveriam estar envolvidos em investimentos de impacto por um ano ou mais, seja com capital empregado ou investimentos pessoais, e ser respeitados em seu campo.

Veja a seguir:

Ibrahim AlHusseini
Área de impacto: meio ambiente

Um empreendedor em série e um dos primeiros investidores na Tesla, AlHusseini dirige a empresa de investimentos FullCycle, que possui US$ 50 milhões em ativos e está em processo de levantar outro fundo de US$ 250 milhões. A FullCycle visa investimentos em empresas que reduzem as emissões de carbono e foca em companhias maiores, em vez de startups, a fim de maximizar seu impacto. O portfólio da FullCycle inclui a Synova Power, empresa holandesa de transformação de resíduos em energia.

Howard W. Buffett
Área de impacto: internacional, meio ambiente

O neto do Oráculo de Omaha, Warren Buffett, criou a Impact Rate of Return, uma ferramenta para medir a taxa de impacto para cada dólar que uma pessoa investe. Atualmente, ela é usada por mais de 75 investidores ou fundos de impacto. Buffett é um investidor da Inari, uma empresa de tecnologia com o objetivo de aumentar a diversidade genética em sementes para ajudar a enfrentar as mudanças climáticas. Ele também investiu em um colega da lista Impacto 50 e na KDC Ag do Under 30 Justin Kamine, que converte resíduos de alimentos em ração animal e fertilizante

Al Gore
Área de impacto: diversificada

O ex-vice-presidente foi cofundador da Generation Investment Management em 2004 para investir em empresas sustentáveis ​​de baixo carbono. Em março desde ano, a empresa, que administra US$ 24 bilhões em ativos, prometeu eliminar sua própria disparidade salarial entre gêneros nos próximos cinco anos. Também no mesmo mês, a Generation liderou uma rodada de financiamento de US$ 80 milhões na Nature’s Fynd, uma empresa de tecnologia de alimentos que desenvolve proteínas baseadas em micróbios como substitutos de carne.

Irwin Jacobs
Área de impacto: meio ambiente

O cofundador da Qualcomm e ex-bilionário fez uma série de apostas em startups em estágio inicial que buscam combater as mudanças climáticas. Em novembro de 2019, ele liderou uma rodada de financiamento de US$ 4 milhões na startup de purificação de água Cyclopure, seu segundo investimento na empresa com sede em Encinitas, Califórnia. No ano de 2018, ele investiu na Tour Engine, onde trabalha em um motor de combustão interna mais eficiente.

CONFIRA: Google pretende operar totalmente com energia livre de carbono até 2030

Justin Kamine
Área de impacto: agricultura, infraestrutura

Kamine, Under 30 da Forbes em 2018, construiu a KDC Ag, uma plataforma que transforma resíduos de alimentos de supermercados em ração para animais de estimação. A empresa, com sede em New Jersey, foi fundada em 2015. Kamine trabalha com seu pai e irmão na firma de investimentos Kamine Development Corp., que desenvolve infraestrutura, como projetos solares. Em dezembro de 2019, ele fez uma parceria com a empresa californiana Blue Planet, que desenvolve o que diz ser um processo de fabricação de cimento com “carbono negativo”.

Dave J Hogan/Getty Images
Dave J Hogan/Getty Images

Al Gore

Amy Novogratz e Mike Velings
Área de impacto: aquacultura

Por meio do escritório de investimentos Aqua Spark, Amy e seu marido, Mike Velings, têm participações minoritárias em 20 empresas, muitas das quais são fazendas sustentáveis. A Aqua possui US$ 177 milhões em ativos, 190 investidores de 29 países e uma taxa interna de retorno líquida de 21,75% no ano passado.

Robyn O’Brien
Área de impacto: agricultura

Depois de uma carreira em fundos de hedge, Robyn cofundou a RePlant Capital com Don Shaffer e David Haynes. A ideia era usar financiamento criativo, como empréstimos a agricultores com termos baseados em métricas de saúde do solo, para resolver questões ligadas a mudanças climáticas. Em janeiro, a RePlant comprometeu até US$ 20 milhões de seu fundo de investimento de impacto para fazer empréstimos de baixo custo a agricultores que abastecem a Danone North America e que estão em transição para a agricultura orgânica e regenerativa.

Valerie Rockefeller e família
Área de impacto: meio ambiente, pobreza/desigualdade

O Rockefeller Brothers Fund comprometeu US$ 203 milhões para impactar investimentos nas áreas de mudança climática e agricultura sustentável. Em abril, eles investiram US$ 12 milhões no Rethink Impact, também membro da lista Impacto 50, apoiando fundos de tecnologia voltados para mulheres. Cinco anos atrás, a família decidiu se desfazer de combustíveis fósseis –apostando contra a própria indústria que lhes deu sua fortuna. Desde então, seu fundo registrou um retorno líquido médio anual de 7,76%

Eric e Wendy Schmidt
33º na Forbes 400
Área de impacto: meio ambiente

O ex-CEO do Google –com patrimônio líquido de US$ 15,1 bilhões– e sua esposa investiram quase US$ 40 milhões em empresas por meio da Schmidt Family Foundation, com o objetivo de levar energia limpa e água corrente a comunidades carentes e promover tecnologias marinhas para melhorar a saúde dos oceanos. Um investimento recente foi na Navajo Power, uma empresa de benefício público que desenvolve projetos de energia solar para terras tribais.

Rich Polk/Getty Images
Rich Polk/Getty Images

Robyn O’Brien

Jeff Skoll
115º na Forbes 400
Área de impacto: meio ambiente

O Capricorn Investment Group, que gerencia os investimentos do antigo funcionário do eBay –com patrimônio líquido de US$ 5,5 bilhões–, apoia empresas que trabalham com energia limpa, incluindo a fabricante de baterias de estado sólido QuantumScape, que tem uma joint venture com a Volkswagen para produzir suas baterias para automóveis. O Capricorn, que tem US$ 5,2 bilhões em ativos, também apoiou a empresa de imagens da Terra por satélite Planet, que fornece monitoramento para uso em agricultura, energia, silvicultura e marítimo.

FIQUE POR DENTRO: Forbes 400: as mulheres mais ricas dos Estados Unidos em 2020

Will Smith e Jada Pinkett Smith
Área de impacto: meio ambiente

Por meio da fundação familiar, o casal apoiou uma série de empreendimentos sustentáveis. Em 2015, eles forneceram financiamento para a Quidnet Energy, uma empresa que desenvolve sistemas de armazenamento para o excesso de eletricidade produzida por sistemas de energia renovável. Alguns anos depois, eles investiram US$ 50 milhões no Fundo Prime Impact, que tem um portfólio de oito empresas com foco em sustentabilidade. Uma dessas startups, a Lilac, desenvolveu o método de extração de lítio mais ecologicamente correto, um componente-chave das baterias de carros elétricos.

Kat Taylor e Tom Steyer
Área de impacto: meio ambiente, pobreza/desigualdade

Em 2013, Kat e seu marido Tom Steyer –com patrimônio líquido de US$ 1,4 bilhão–, fundaram a empresa de capital de risco em estágio inicial Radicle Impact, que empregou quase US$ 50 milhões para empresas que atuam em finanças responsáveis, energia limpa e alimentação saudável. No mesmo ano, ele apoiou o banco digital e gerente de ativos Aspiration, a empresa de embalagem baseada em plantas Vericool e a startup de software de planejamento urbano UrbanFootprint. O casal também fundou o TomKat Ranch com 1.800 acres ao sul de San Francisco para praticar a agricultura regenerativa, uma abordagem sustentável para a agricultura que visa restaurar terras degradadas pelo uso agrícola. Em 2007, Kat e Steyer ajudaram a fundar o Beneficial State Bank, um banco de desenvolvimento comunitário em Oakland.

Ben e Lucy Ana Walton
Área de impacto: meio ambiente, educação

O neto do fundador do Walmart, Sam Walton, fundou a Zoma Capital com sua esposa, Lucy Ana, em 2013 para apoiar empresas no combate a problemas ambientais e sociais. Um de seus esforços foi reduzir o estigma de contratar pessoas que não se formaram na universidade. No ano passado, eles lideraram uma rodada de US$ 11,1 milhões no Credly, que emite credenciais digitais alternativas para desde falar em público até análise de dados e blockchain.

Evan Williams
378º na Forbes 400
Área de impacto: meio ambiente

Williams foi um dos primeiros financiadores da empresa de proteínas à base de plantas Beyond Meat. A Forbes estima que ele possui quase 6% das ações da empresa, uma participação que atualmente vale mais de US$ 430 milhões. O cofundador do Twitter –com patrimônio líquido de U$ 2,2 bilhões– fez outros investimentos voltados para o meio ambiente por meio de sua empresa Obvious Ventures. A companhia tem participações na Mosaic, que oferece opções de financiamento para clientes de painéis solares, e na Proterra, que desenvolve ônibus elétricos.

Marc e Lynne Benioff
69º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

O fundador e CEO da Salesforce –com patrimônio líquido de US$ 7,5 bilhões– investiu em quatro empresas de impacto social no ano passado, incluindo a Cloud Paper, uma fabricante de papel higiênico que usa bambu em vez de árvores em seus produtos como forma de reduzir o desmatamento. Em junho, Benioff e seu colega bilionário Peter Thiel investiram na Even Responsible Finance, uma empresa de fintech cujo aplicativo é projetado para usuários que vivem de salário em salário. Um recurso permite que os funcionários tenham acesso a seus ganhos antes do dia do pagamento, enquanto outro prevê quanto eles ganharão durante o próximo período de pagamento.

Jean e Steve Case
Área de impacto: diversificada

O ex-CEO da AOL –com patrimônio líquido de US$ 1,4 bilhão– dirige o Rise of the Rest Seed Fund, um fundo de sua empresa de investimentos Revolution, que investe em startups localizadas fora da cidade de Nova York, Boston e Silicon Valley. O grupo –que é apoiado por bilionários como Jeff Bezos e Dan Gilbert– organiza várias viagens anuais para mais de 40 cidades e está investindo US$ 300 milhões em financiamento em pequenas startups. Os investimentos incluem a ShearShare, uma empresa de propriedade de negros que ajuda cabeleireiros a encontrar espaços acessíveis para alugar. O presidente da National Geographic Society, Jean Case, lidera a Case Impact Network, que se baseia no trabalho filantrópico que o casal iniciou com a Case Foundation.

VEJA: Especial Inovadores Negros: 20 creators que têm muito a dizer

Mark Cuban
117º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

A estrela do “Shark Tank” –com patrimônio líquido de US$ 4,2 bilhões– investiu em empresas com objetivos sociais, especialmente aquelas lideradas por mulheres, minorias e veteranos. Investimentos recentes incluem Strella Biotechnology, que está trabalhando para reduzir quase 40% de produtos frescos que são desperdiçados nos EUA usando dados para prever a maturação dos produtos e otimizar a cadeia de abastecimento. Cuban –ao lado do membros da lista Impact 50 Serena Williams, Arlan Hamilton e outros– financiou a Mahmee, uma plataforma de gerenciamento de cuidados para novas mães para reduzir a mortalidade materna.

Ray Dalio
29º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

Motivado pela conservação do oceano, o fundador do gigante de fundos de hedge Bridgewater Associates investiu em um navio de pesquisa em alto mar de US$ 80 milhões. No final deste ano, o OceanXplorer de 85 metros de Dalio começará uma exploração do Oceano Índico, programada para ser documentada por Dalio e a produtora de mídia de seu filho em parceria com a BBC e o diretor de “Titanic”, James Cameron. Dalio –com patrimônio líquido de US$ 16,9 bilhões– e sua família também apoiaram o fundo Global Health Investment Fund, que financia o desenvolvimento de medicamentos e vacinas para doenças que afetam desproporcionalmente os países em desenvolvimento.

John Doerr
45º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

O presidente da Kleiner Perkins –com patrimônio líquido de US$ 10,5 bilhões– concentra-se em cinco áreas de impacto: educação, saúde, energia e sustentabilidade, liderança e pobreza global. Isso levou a investimentos como a empresa Modern Health de benefícios para a saúde mental, a alternativa universitária MissionU e a Tempus, que afirma ter a maior biblioteca de informações clínicas e moleculares do mundo.

Cheryl Dorsey
Área de impacto: diversificada

A Echoing Green, uma organização sem fins lucrativos global de Cheryl, fornece financiamento inicial para empreendedores sociais como o colega Shanté Elliott em 2020, fundador da TasselTurn, uma plataforma de treinamento para jovens sem-teto e em processo de adoção. Em 2019, ela liderou US$ 2,7 milhões em investimentos em 54 organizações que trabalham para criar uma mudança sistêmica positiva. No início deste ano, a Echoing Green lançou um fundo no combate à Covid-19, que distribuiu mais de US$ 220 mil em subsídios de emergência para vários de seus bolsistas que estavam passando por crises financeiras urgentes.

Chris Jackson/Getty Images
Chris Jackson/Getty Images

Will Smith e Jada Pinkett Smith

Mitch e Freada Kapor
Área de impacto: diversificada

Kapor, o cofundador do desenvolvedor de planilhas da década de 1980, Lotus Development, e sua esposa, Freada Kapor Klein, uma ativista e pesquisadora, fundaram a organização sem fins lucrativos Kapor Center e têm investido exclusivamente em startups de impacto por meio de sua empresa de capital de risco, Kapor Capital, desde 2011. Dentro do portfólio, 60 de 102 empresas têm uma mulher ou diversidade étnico-racial sub-representada na cofundação. “O que é central para nós é se uma empresa, em seu propósito fundamental, está comprometida em fechar as lacunas de acesso, ou oportunidade, ou resultados que impactam desproporcionalmente as comunidades de baixa renda e as comunidades de étnico-raciais”, diz Kapor.

Vinod Khosla
353º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

O cofundador da Sun Microsystems e fundador da Khosla Ventures –com patrimônio líquido de US$ 2,4 bilhões– ajudou a financiar startups como a fabricante de biocombustíveis renováveis ​​para aviação LanzaTech, a empresa de produtos de substituição de ovo JUST Egg e a de baterias sólidas QuantumScape. Em julho, Khosla fez um apelo para cerca de uma dúzia de grandes empresários para combater a mudança climática. “Bom não é o suficiente. Grande dificilmente é aceitável nessa área”, escreveu Khosla. “É preciso que aqueles que têm bala para impactar essas questões pensem de forma diferente sobre a solução de problemas e aqueles que assumem riscos improváveis.”

NÃO PERCA: 5 lições que todo empreendedor deve aprender com Oprah

Dustin Moskovitz e Cari Tuna
37º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

Com sua esposa, Cari Tuna, Moskovitz –com patrimônio líquido de US$ 14,2 bilhões–, o cofundador do Facebook e da empresa de gerenciamento de projetos online Asana, fez investimentos em sete empresas por meio da Good Ventures LLC desde 2012. Todos os lucros obtidos foram devolvidos à instituição de caridade do casal. Em maio, eles investiram na Kainomyx, uma empresa de biotecnologia da Bay Area, para apoiar o desenvolvimento e a produção de um novo medicamento para combater a malária. Outros investimentos incluem US$ 14 milhões para o Dementia Discovery Fund, que se concentra em encontrar tratamentos para a demência, e US$ 5 milhões para a EicOsis, uma startup que desenvolve tratamento oral para dores neuropáticas e inflamatórias.

Steven Ferdman/Getty Images
Steven Ferdman/Getty Images

Mark Cuban

Jacqueline Novogratz
Área de impacto: diversificada

Seu fundo de impacto sem fins lucrativos, Acumen, investiu mais de US$ 125 milhões do que ela chama de “capital do paciente” em cerca de 130 empresas que lidam com questões como pobreza, energia limpa e educação. Em 2019, a Acumen fez 11 novos investimentos, incluindo US$ 1 milhão na Promethean Power Systems, uma empresa que produz refrigeradores de leite rurais fora da rede na Índia. Em resposta à Covid-19, a Acumen distribuiu US$ 7 milhões em financiamento de emergência para apoiar 63 empreendedores por meio de empréstimos e doações nos EUA, América Latina, África e Ásia.

Nancy Pfund
Área de impacto: diversificada

Mais de 50% das empresas nas quais a companhia de capital de risco da Pfund DBL Partners (abreviação de “Double Bottom Line”) investe têm uma fundadora ou uma mulher na diretoria. Em 2015, a DBL fechou seu terceiro fundo de impacto, com US$ 400 milhões para investir em empresas com benefício social, ambiental ou econômico regional. No ano passado, sua empresa de portfólio The RealReal, uma loja de remessa online que promove uma “economia circular”, levantou US$ 300 milhões em uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês).

Laurene Powell Jobs
30º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

Por meio do Emerson Collective, seu investimento híbrido e sociedade filantrópica de responsabilidade limitada, Laurene –com patrimônio líquido de US$ 16 bilhões– combina caridade, capital de risco e defesa para promover a igualdade de gênero, racial e econômica. Em novembro, o Emerson Collective participou de uma rodada de financiamento de US$ 157 milhões para Guild Education, que oferece reembolso de mensalidades, programas online e outros recursos educacionais para adultos que buscam mais oportunidades na força de trabalho. Em maio, coletivo coliderou uma rodada de financiamento de US$ 7,5 milhões para o Syndio, uma plataforma de análise de recursos humanos que trabalha para erradicar as disparidades salariais decorrentes de gênero e raça. Além disso, a companhia investiu na Mos, uma startup que ajuda os alunos a obter ajuda financeira para a faculdade.

Liesel Pritzker Simmons
Área de impacto: diversificada

A Iniciativa Blue Haven com foco em investimento de impacto tem um amplo portfólio, com investimentos recentes em empresas como Field Intelligence, que auxilia farmácias na África com financiamento e distribuição, e a Open Road Alliance, que fornece empréstimos-ponte para empresas socialmente conscientes. A herdeira do Hyatt também assinou a carta aberta dos Milionários pela Humanidade, na qual os mais ricos exigem de seus governos o aumento dos impostos dos cidadãos ricos para enfrentar a pandemia do novo coronavírus.

George Roberts
93º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

Roberts –com patrimônio líquido de US$ 6,6 bilhões–, um pioneiro da filantropia de risco, fundou a Roberts Economic Development Foundation (REDF), que oferece apoio a empresas de cunho social ajudando pessoas com empregos, educação e moradia. A REDF lançou um fundo de empréstimos de impacto de US$ 1,9 milhão para apoiar empresas voltadas para temas da sociedade como a First Step Staffing, uma agência de recrutamento sem fins lucrativos com sede em Atlanta que encontra empregos para 1.100 pessoas a cada semana.

Jim Sorenson
Área de impacto: diversificada

A Sorenson Impact Foundation, que Jim Sorenson fundou em 2012 com sua esposa, Krista, investiu US$ 44 milhões em startups voltadas para saúde, educação e energia limpa. A fundação tem um retorno de 5,1% ao ano desde 2017. As empresas de portfólio incluem a BRCK, que visa conectar a África ao meio digital. Sorenson também investiu US$ 10 milhões na Catalyst Opportunity Funds, uma empresa de investimento de resultado financeiro duplo focada em investimentos em mercados mal atendidos dos EUA.

CONFIRA: Saiba mais sobre a sustentabilidade no mundo do vinho

Serena Williams
Área de impacto: diversificada

A Serena Ventures, que se concentra em empresas com mulheres e fundadores de minorias, recentemente fez seu segundo investimento na área de saúde materna. Em maio, a empresa da estrela do tênis forneceu um financiamento inicial para a Every Mother, um programa de condicionamento físico online para mulheres grávidas e novas mães. No ano passado, a atleta investiu na Mahmee, plataforma de gestão de saúde pré e pós-natal.

Jerry Yang
359º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

Por meio de sua empresa de investimentos AME Cloud Ventures, o cofundador do Yahoo, está investido em mais de 100 empresas, incluindo uma série de startups de saúde com visão de futuro. Yang –com patrimônio líquido de US$ 2,3 bilhões– foi um dos primeiros investidores na Cala Health, que desenvolveu um dispositivo com aparência de smartwatch que trata tremores graves nas mãos com pulsos elétricos, e no Neurotrack, um aplicativo que ajuda a prevenir e diagnosticar declínio cognitivo. Em 2018, a AME também participou de uma rodada de financiamento de US$ 80 milhões para a fabricante de carne alternativa Impossible Foods.

Mark Zuckerberg e Priscilla Chan
3º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

O cofundador do Facebook –com patrimônio líquido de US$ 85 bilhões– e sua esposa, Priscilla Chan, disseram que decidiram estruturar sua Iniciativa Chan Zuckerberg como uma empresa de responsabilidade limitada para que tenham flexibilidade para apoiar qualquer ideia de impacto, seja uma doação a uma organização sem fins lucrativos ou um investimento de risco em uma startup. Eles investiram mais de US$ 100 milhões até agora; em julho de 2019, colocaram dinheiro na Lovevery, que fabrica brinquedos Montessori para bebês e crianças pequenas.

Jenny Abramson
Área de impacto: educação, tecnologia e saúde

Abramson apoia mulheres empresárias de tecnologia por meio de sua empresa de capital de risco Rethink Impact, que investiu em cerca de 25 empresas. Ele fechou seu segundo fundo em julho, que arrecadou US$ 182 milhões, elevando seus ativos totais sob gestão para quase US$ 300 milhões. Seu portfólio inclui a Guild Education, uma startup liderada por mulheres que ajuda empresas como o Walmart a oferecer benefícios educacionais e descontos nas mensalidades aos funcionários, e a Ellevest, uma plataforma de investimento para mulheres.

Bill Ackman
391º na Forbes 400
Área de impacto: educação, moradia e saúde

Ackman –com patrimônio líquido de US$ 2,1 bilhões– fundou a Pershing Square Foundation, que investiu US$ 30 milhões na Turner Impact Capital, parte da qual está financiando moradias populares perto dos locais de trabalho para mais de 16 mil residentes. A fundação também investiu no Aunt Bertha, um site que fornece informações sobre serviços sociais, incluindo assistência médica gratuita ou de baixo custo, alimentação e capacitação profissional. Embora o uso do site seja gratuito, ele também oferece uma versão premium paga.

Steve e Connie Ballmer
6º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

Em 2018, o ex-CEO da Microsoft –com patrimônio líquido de US$ 69 bilhões– e sua esposa, Connie, investiram US$ 59 milhões na empresa de software Social Solutions, que ajuda organizações sem fins lucrativos e do setor público a digitalizar arquivos e conduzir análises de dados. A empresa anunciou em junho que faria uma doação para organizações que trabalham no combate ao racismo e na promoção da justiça social, como Black Lives Matter e The Bail Project. Os Ballmers também investiram no Community Outcomes Fund, que financia serviços sociais e de saúde estaduais e locais, ao mesmo tempo que produz retornos financeiros.

Ian Tuttle/Getty Images
Ian Tuttle/Getty Images

Mark Zuckerberg e Priscilla Chan

David Bonderman
186º na Forbes 400
Área de impacto: internacional

Cofundado em 2016 pelo presidente da TPG Bonderman –com patrimônio líquido de US$ 4 bilhões–, o The Rise Fund levantou quase US$ 2 bilhões em seu segundo fundo focado em impacto no ano passado, aumentando os ativos para mais de US$ 5 bilhões. Seu portfólio de mais de 30 empresas inclui quatro investimentos recentes: Frontier Markets, uma startup de energia solar da Índia, e a Varo, empresa de banco móvel e duas empresas de biotecnologia. O conselho fundador do Rise Fund inclui os bilionários Laurene Powell Jobs, Jeff Skoll, Pierre Omidyar e outros.

LEIA: Moda e sustentabilidade: um encontro inevitável

Jim Breyer
353º na Forbes 400
Área de impacto: saúde e internacional

O capitalista de risco –com patrimônio líquido de US$ 2,4 bilhões– fez investimentos de impacto social em cinco empresas africanas, incluindo a mPharma, com sede em Gana, que visa melhorar o acesso a medicamentos fornecendo soluções de gestão de estoque para hospitais e farmácias e financiamento de ajuda aos pacientes. A Breyer também investiu em empresas que promovem a inclusão financeira, como a plataforma bancária Good Money, que se comprometeu a investir 50% dos seus lucros em causas ambientais e de justiça social.

Kesha Cash
Área de impacto: diversificada

Sua companhia Impact America Fund arrecadou US$ 54 milhões para apoiar startups que promovem um futuro em busca de igualdade para pessoas de diversidade étnico-raciais de baixa e moderada renda. Dois terços das pessoas empregadas pelas empresas de seu portfólio, que juntas geraram uma receita de US$ 150 milhões desde 2014, são negros. Essas empresas incluem Camino Financial, que fornece empréstimos rápidos e acessíveis para pequenas empresas pertencentes à Latinx, e Upswing, uma plataforma de serviços estudantis que ajuda faculdades a alcançarem alunos não tradicionais, com foco em escolas que historicamente têm alunos negros e hispânicos.

Paul Zimmerman/Getty Images
Paul Zimmerman/Getty Images

Irwin Jacobs

Scott Cook
213º na Forbes 400
Área de impacto: educação

Cook –com patrimônio líquido de US$ 3,7 bilhões– é um investidor em empresas de tecnologia educacional, incluindo a ParentPowered, que fornece suporte de educação infantil aos pais, e a Remind 101, uma plataforma privada de mensagens de celular com foco em educação. Ele também financiou a MathShelf, que oferece escolas de bairro e institutos pré-escolares que atendem principalmente crianças de baixa renda com um programa de matemática gratuito por um ano.

James Coulter
359º na Forbes 400
Área de impacto: internacional

Coulter –com patrimônio líquido de US$ 2,3 bilhões– é sócio cogerente do The Rise Fund, braço de investimento de impacto de US$ 5 bilhões da gigante de private equity TPG, do seu colega bilionário David Bonderman. Seus investimentos incluem a escola de programação latino-americana Digital House, com cerca de 8.000 alunos em São Paulo e Buenos Aires; e a fintech Cellulant, sediada no Quênia, cuja plataforma baseada em blockchain Agrikore oferece um mercado digital para agricultores africanos sem instituição bancária. Lançado em 2016, o fundo comprometeu cerca de US$ 1,8 bilhão em capital para mais de 30 empresas até o momento e apresenta crescimento de receita em seu portfólio de mais de 30% ao ano.

Michael Dell
18º na Forbes 400
Área de impacto: educação e internacional

Desde 2014, a fundação iniciada pelo gênio da computação Michael Dell –com patrimônio líquido de US$ 35,6 bilhões– e sua esposa investiu US$ 4,3 milhões no Avanti Learning Centers, uma startup de coaching indiana que está com um aplicativo gratuito para aulas de matemática e ciências para alunos durante a crise da Covid 19. Em novembro de 2018, a fundação vendeu sua participação na Svasti, uma instituição de microfinanças com foco nas favelas de Mumbai, que cresceu para mais de 200 mil clientes em 62 filiais na Índia.

Dagmar Dolby
170º na Forbes 400
Área de impacto: saúde e tecnologia

Dagmar –com patrimônio líquido de $ 4,3 bilhões– e sua família fundaram a Dolby Family Ventures em 2014, um ano depois que seu marido Ray morreu de doença de Alzheimer. A empresa de capital de risco conta com a QurAlis, uma companhia de biotecnologia que pesquisa tratamentos para esclerose lateral amiotrófica (ELA) e demência, entre as 50 empresas do portfólio. David, filho de Dagmar, é diretor administrativo.

Bill e Melinda Gates
2º na Forbes 400
Área de impacto: saúde, pobreza/desigualdade

Por meio de um fundo de investimento de US$ 2,5 bilhões da Fundação Bill & Melinda Gates, o casal apoiou mais de 80 empresas, incluindo duas companhias de biotecnologia alemãs que agora desenvolvem vacinas contra a Covid-19, BioNTech e CureVac. Em junho, a fundação investiu na startup Enko Chem, com sede em Massachusetts, uma empresa que trabalha para produzir compostos químicos mais seguros para proteger as safras de pragas e doenças, com um mercado-alvo de pequenos agricultores na África Subsaariana e no Sul da Ásia. Os lucros desses investimentos são devolvidos à Fundação Gates. Bill Gates –com patrimônio líquido de US$ 111 bilhões– copreside a fundação com sua esposa, Melinda.

FIQUE POR DENTRO: Como o luxo e sustentabilidade se tornaram aliados no turismo

Kathryn Gleason e Tim Ring
Área de impacto: saúde

Kathryn Gleason, ex-advogada, e seu marido, Tim Ring, que liderou a empresa de dispositivos médicos C.R. Bard de 2003 a 2017, são os cofundadores do TEAMFund, que investe em startups de tecnologia médica que beneficiam pacientes em países com poucos recursos. O TEAMFund arrecadou US$ 30 milhões em setembro de 2019 e está apoiando empresas que lidam com doenças não transmissíveis na Índia e na África Subsaariana.

Arlan Hamilton
Área de impacto: diversificada

Desde a sua fundação em 2015, a empresa de capital de risco de Hamilton, Backstage Capital, investiu entre US$ 25 mil e US$ 100 mil em mais de 130 empresas –todas fundadas por empreendedores que são mulheres, negros ou LGBT. O mais recente investimento da empresa é a Hava Health, de cigarros eletrônicos com um vaporizador projetado para reduzir a ingestão de nicotina e ajudar as pessoas a abandonar o vício.

Reid Hoffman
Área de impacto: direito civil, tecnologia

O cofundador do LinkedIn –com patrimônio líquido de US$ 2 bilhões– aplicou US$ 1,5 bilhão em investimentos de impacto por meio de suas instituições de caridade. Os investimentos incluem OpenAI, que visa construir inteligência artificial segura para beneficiar a sociedade. No ano passado, a Microsoft investiu US$ 1 bilhão na empresa. Hoffman, um investidor do Rise Fund e Change.org, também investiu em organizações dedicadas aos esforços ambientais, como o fundo de impacto Breakthrough Energy Ventures, e ativismo, como o Crowdpac, uma plataforma de crowdfunding que permite que novos candidatos concorram a cargos públicos.

Shahid Khan
66º na Forbes 400
Área de impacto: direito civil

O bilionário de autopeças e proprietário do Jacksonville Jaguars –com patrimônio líquido de US$ 7,8 bilhões– investiu US$ 100 milhões no lançamento do Black News Channel, que fornece programação a cabo 24 horas por dia durante todos os dias da semana com foco em notícias e perspectivas da comunidade afro-americana. Lançado em fevereiro, o canal estará disponível na televisão em mais de 40 estados no final do ano. Além disso, ele também planeja fazer parceria com faculdades historicamente negras para treinar e recrutar novos jornalistas. Khan é o acionista majoritário. Ele também construiu duas de suas fábricas de peças automotivas Flex-N-Gate no centro de Detroit e Chicago para oferecer oportunidades aos trabalhadores locais.

Pierre Omidyar
26º na Forbes 400
Área de impacto: internacional

Em 2019, o fundador do eBay –com patrimônio líquido de US$ 17,2 bilhões– aplicou quase US$ 195 milhões em empreendimentos com fins lucrativos por meio de seu Grupo Omidyar, incluindo investimentos feitos por meio da Flourish, seu braço de capital de risco recém-desmembrado. Com o objetivo de investir US$ 300 milhões até 2024, a Flourish financia empresas de fintech nos EUA e em mercados emergentes para fornecer oportunidades bancárias para comunidades de baixa renda. A ON Índia, que trata de problemas na Índia, como acesso à educação, inclusão financeira e governança, também foi lançada em 2019 e investiu US$ 300 milhões em empresas como a Varthana, uma startup de educação que fornece empréstimos a escolas para construir playgrounds, bibliotecas e ciências laboratórios.

Ruth Shaber
Área de impacto: saúde

A obstetra e ginecologista fundou a Tara Health Foundation em 2014 e, desde então, investiu mais de US$ 70 milhões em empresas que ajudam a melhorar a saúde das mulheres. Desde 2016, realizou um investimento de US$ 1,5 milhão na Cadence Health, uma startup focada em fornecer pílulas anticoncepcionais a custo baixo. Pessoalmente, Ruth investiu US$ 50 milhões em empresas de benefício mundial, como a Shepherd Therapeutics, de David Hysong, Under 30 da Forbes, que visa encontrar tratamentos para cânceres raros.

George Soros
56º na Forbes 400
Área de impacto: diversificada

Um gigante na filantropia, com US$ 15,2 bilhões em subsídios e despesas vitalícias e um orçamento de US$ 1,2 bilhão em 2020, a Fundação Soros ‘Open Society realizou mais de US$ 100 milhões em investimentos de impacto, incluindo US$ 15 milhões em dois fundos liderados por mulheres, Alitheia IDF e Women’s World Banking Capital Partners II. Outras iniciativas financiadas por Soros –com patrimônio líquido de US$ 8,6 bilhões– em 2020 incluem mais de US$ 130 milhões para os esforços no combate à Covid-19 em todo o mundo e US$ 220 milhões dedicados à promoção da justiça racial.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).