Google pretende operar totalmente com energia livre de carbono até 2030

Mike Blake/Reuters
Mike Blake/Reuters

O presidente do Google se recusou a compartilhar o custo provável de atingir a meta

O Google, de propriedade da Alphabet, pretende abastecer seus data centers e escritórios 24 horas por dia, 7 dias por semana, usando exclusivamente eletricidade com emissão de carbono zero até 2030, disse seu presidente-executivo à Reuters, com base em sua meta anterior de tornar seu uso de energia 100% renovável.

A “meta de expansão”, como o CEO Sundar Pichai descreveu, forçará o Google a ir além da norma da indústria de tecnologia de compensar as emissões de carbono do uso de eletricidade e exigirá avanços tecnológicos e políticos para alcançá-la.

LEIA MAIS: Presidente do Google conta como empresa está atuando na transformação digital no Brasil

“O problema é tão imenso que muitos de nós precisamos mostrar o caminho e mostrar soluções”, disse Pichai.

Energia eólica, solar e outras fontes renováveis foram responsáveis por 61% do uso global de eletricidade por hora do Google no ano passado. A proporção variou por local, com fontes livres de carbono atendendo a 96% das necessidades de energia por hora no data center do Google em Oklahoma, em comparação com 3% em sua operação dependente de gás em Singapura.

Mas o Google mostrou otimismo de que pode preencher a lacuna com baterias para armazenar energia solar durante a noite, fontes emergentes como reservatórios geotérmicos e melhor gerenciamento das necessidades de energia.

Siga todas as novidades da Forbes Insider no Telegram

“Para planejar 24 horas por dia, 7 dias por semana, sem carbono em nossos data centers e campi em todo o mundo, vemos um enorme desafio de logística, razão pela qual trabalhamos duro para chegar lá”, disse Pichai. “E estamos confiantes de que podemos chegar lá em 2030.”

Ele se recusou a compartilhar o custo provável de atingir a meta. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).