Caito Maia revela planejamento, preocupações e dicas para gestores superarem o coronavírus

Divulgação
O empresário de sucesso Caito Maia mostrou que a Chilli Beans também está sofrendo com a quarentena e que se planejar é essencial para a continuidade dos negócios

Em mais uma entrevista para o canal do YouTube da Forbes, a jornalista e empresária Fabiana Scaranzi conversou com Caito Maia, fundador da Chilli Beans, marca nacionalmente conhecida de óculos e acessórios que conta com mais de 800 pontos de venda no Brasil e no mundo.

Elogiado pela apresentadora por ser um chefe bastante próximo da rotina de operações da empresa, Maia destacou que possui uma equipe competente, mas que gosta de estar perto de todos os níveis da empresa: “hoje posso dizer que trabalho por prazer”.

LEIA MAIS: Conheça a empresa sul-coreana que busca a expansão em meio à crise de Covid-19

O regime de vendas da Chilli Beans foi diretamente afetado pela pandemia da Covid-19 que tomou conta do mundo nas últimas duas semanas. O empresário deu alguns exemplos de perdas que teve, como importações mais caras pela alta do dólar, cancelamento de um cruzeiro da marca e o fechamento de todos os shopping centers do Brasil, o que significa, segundo ele, 917 lojas fechadas.

Mesmo com um cenário tão negativo, ele lembrou de pontos positivos de todo o processo: “Meus fornecedores foram compreensivos e conseguimos refazer nossos contratos, assim como os bancos toparam trabalhar conosco para que tivéssemos um fluxo de caixa adequado. Eu e minha equipe conseguimos refazer os planos da Chilli Beans até março de 2021”. Além disso tudo, Maia lembrou com orgulho que conseguiu evitar que seus funcionários fossem infectados pelo vírus e que não precisou fazer grandes demissões.

Pensando no futuro, o empresário declarou que as lojas devem pensar em como suprir as necessidades básicas da população, mesmo que isso signifique mudar os produtos comercializados. “Nesse tempo que estou em casa, estou me refazendo, criando, reinventando. Este é um exercício que todos devem fazer. Pensar em como será a sociedade depois que tudo passar, para que estejam preparadas. O apego nesse momento pode ser fatal”, afirma.

Além disso, outro ponto fundamental no planejamento foi estipular uma data para retornar aos negócios. Fabiana Scaranzi e o empresário concordaram no grau de importância de ter esse dia um momento de tantas incertezas.

Dentre as possíveis mudanças no mundo pós-coronavírus, Maia falou de uma em especial, a da relação entre as pessoas. “O que mais gosto de falar nesse momento é de respeito com o ser humano. O futuro das empresas de sucesso está em como as pessoas se relacionam e, dessa maneira, conseguem extrair o melhor de cada um”, disse.

Questionado sobre como o comércio online está agindo e qual será o papel das lojas físicas no futuro, Caito disse que espera uma valorização muito maior do espaço físico pelos clientes. “As pessoas vão querer pegar o produto na mão, sentir o cheiro, conversar com um vendedor cara a cara e andar pelos shoppings quando tudo isso passar. O comércio eletrônico e o físico se complementam.”

LEIA TAMBÉM: MaxMilhas compartilha lista de talentos dispensados na crise do coronavírus

Ele também revelou qual é o seu plano para voltar ao caminho de sucesso nos negócios: mudar o foco de vendas na volta das pessoas a suas vidas normais. Para isso, ele aposta na venda de óculos de grau, por ser um meio de corrigir a visão de maneira mais higiênica do que lentes de contato, que podem conter o vírus da Covid-19. “Meu plano é dividir as lojas entre óculos escuros e de grau e criar uma campanha para conscientizar as pessoas da necessidade dos óculos para a segurança de sua saúde”, contou a Fabiana Scaranzi.

Veja o vídeo completo:

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).