Crise da Covid-19 ajuda na recuperação das ações da Kraft Heinz

GettyImages/ Scott Olson
A pandemia da Covid-19 causou maior demanda pelos produtos embalados da Kraft Heinz

Após anos de queda nas vendas, a gigante de alimentos embalados Kraft Heinz está vendo seu primeiro aumento nas vendas em anos, graças à maior demanda durante a pandemia de coronavírus, que causou um salto no preço das ações nas últimas semanas.

Desde que o mercado atingiu o nível mais baixo devido à crise do coronavírus em 23 de março, ações como as da Kraft Heinz mostraram uma recuperação graças à maior demanda durante o surto.

LEIA MAIS: Medtec de Singapura afirma que teste para Covid-19 pode ajudar a conter a disseminação do vírus

A Kraft Heinz, cerca de um terço da Berkshire Hathaway de Warren Buffett, viu suas ações saltarem 32% desde 23 de março, em comparação com a recuperação de 22% do S&P 500 nesse período.

A empresa, que produz alimentos embalados e é dona de outras marcas como Oscar Mayer e Capri Sun, viu seu primeiro aumento de vendas em anos, com os norte-americanos estocando alimentos enquanto ficam em casa devido à disseminação do coronavírus.

No início desta semana, a Kraft Heinz disse que suas vendas devem crescer 3% no primeiro trimestre de 2020 (os analistas esperavam um declínio). Os investidores aplaudiram a notícia: as ações subiram 8% desde segunda-feira (6) e quase 20% nas últimas duas semanas, superando o mercado em geral.

“A cadeia de suprimentos da Kraft Heinz conseguiu seguir firme durante esse período de nervosismo, auxiliada por sua grande escala e recursos globais, embora com custos maiores”, escreveu Dara Mohsenian, analista da Morgan Stanley.

No entanto, o aumento nas vendas provavelmente não se traduzirá nos resultados da empresa quando anunciar os lucros do primeiro trimestre: “A maioria das empresas de alimentos fala de custos mais altos como uma compensação parcial para vendas mais fortes”, apontou Ken Goldman, analista da JPMorgan, que espera que a Kraft Heinz reinvista grande parte da receita adicional.

Durante anos, a Kraft Heinz enfrentou uma queda nas vendas e o preço das ações despencou (diminuição de 66% nos últimos cinco anos). A empresa ainda possui bilhões de dólares em dívidas com a fusão Kraft e Heinz em 2015 e foi forçada a amortizar investimentos em algumas de suas maiores marcas nos últimos anos. Até Warren Buffett, o maior acionista da Kraft Heinz, disse no ano passado que estava descontente com seu investimento.

LEIA TAMBÉM: Aplicativos de fintechs disparam, mas clientes de bancos tradicionais são mais fiéis, diz estudo

Quando o CEO Miguel Patricio, ex-executivo da Anheuser-Busch, assumiu o comando em meados de 2019, viu uma “casa em chamas” em suas mãos, segundo o “Yahoo Finance”. No entanto, o novo CEO da empresa liderou um grande esforço de recuperação desde então. Wall Street espera os detalhes desse progresso no dia dos investidores da empresa ainda este ano.

“No momento, nossa missão como empresa nunca foi tão clara: temos uma enorme responsabilidade de continuar alimentando o mundo”, disse o CEO Miguel Patricio em comunicado nesta segunda-feira (6). “Nossa forte execução diante desta crise reflete o progresso excepcional que nosso pessoal vem fazendo”.

Analistas de Wall Street têm sentimentos contraditórios sobre as ações, que atualmente são negociadas a US$ 27 por unidade. Três analistas atribuem uma classificação de “compra”, apenas um atribui uma classificação de “venda” e 17 atribuem uma classificação de “espera”, de acordo com dados da “Bloomberg”. Empresas como Jefferies e Morgan Stanley preveem o aumento de valor das ações para US$ 27 por ação e US$ 26 por ação, respectivamente, enquanto a JPMorgan coloca a meta de preço em US$ 30 por ação.

No entanto, as ações ainda estão tentando se recuperar totalmente da liquidação do mercado impulsionada pelo coronavírus que começou no final de fevereiro. Os papéis da empresa ainda estão em queda de 13% até o momento. “Todos os olhos estão voltados para a estratégia para o futuro” agora que Patricio montou uma nova equipe executiva e investiu em grandes marcas, segundo Rob Dickerson, analista da Jefferies, que recentemente aumentou suas previsões para a empresa ainda neste ano.

E TAMBÉM: David Vélez, do Nubank, fala sobre negócios na pandemia: “O modo como empresas se comportam agora não será esquecido tão rapidamente”

Muitos dos produtos alimentares da Kraft Heinz tiveram um salto nas vendas, mas “o campeão com certeza é a Kraft Mac & Cheese”, de acordo com Patricio. Atualmente, é o produto mais vendido da empresa, disse ele ao “Yahoo Finance” ontem (8).

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).