Bitcoin recua após atingir nível mais alto em um mês

Getty Images
No final de semana, o bitcoin atingiu US$ 10.350 em seu maior salto de dois dias desde o auge da bolha em dezembro de 2017

O bitcoin recuava hoje (28) após atingir o maior nível em quase um mês depois que o presidente da China, Xi Jinping, disse que a segunda maior economia do mundo deve acelerar o desenvolvimento da tecnologia blockchain.

LEIA MAIS: Bitcoin recua mais de 7% e atinge menor nível desde maio

A tecnologia blockchain, a espinha dorsal de muitas criptomoedas, como o bitcoin, deve ser o núcleo da inovação na China, disse Xi, na quinta-feira (24).

O bitcoin subiu 24% entre sexta (25) e sábado (25) após os comentários de Xi, atingindo US$ 10.350 em seu maior salto de dois dias desde o auge da bolha em dezembro de 2017. Outras grandes criptomoedas, incluindo ethereum e XRP também subiram.

Nesta segunda-feira, porém, o bitcoin – a maior criptomoeda em valor de mercado – caía 2,2%, para US$ 9.344.

“Os comentários positivos do líder chinês continuarão a apoiar os preços mais amplos das criptomoedas a manterem-se nos níveis atuais, já que a China continua sendo um nome importante no que diz respeito ao comércio global de criptomoedas”, disse Andy Cheung, chefe de operações da OKEx, bolsa de criptomoedas popular entre chineses.

As buscas feitas no Google na China por bitcoin e blockchain também aumentaram após os comentários de Xi, sugerindo que as observações despertaram um intenso interesse em criptomoedas.

VEJA TAMBÉM: Por que Peter Thiel, do PayPal, investe em bitcoin

“Definitivamente, houve mais conversas desde o fim de semana”, disse Anthony Wong, da empresa de investimentos em criptomoedas Orichal Partners, com sede em Hong Kong.

O bitcoin caiu nos últimos meses, já que políticos e reguladores de todo o mundo criticaram a criptomoeda libra, do Facebook. O bitcoin havia perdido um terço de seu valor desde que atingiu seu ponto mais alto este ano em junho, na esperança de que a libra apressasse a aceitação tradicional de moedas virtuais.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).