Novo olhar transforma indústria na quarta geração

Jovem executivo reposiciona a tradicional Century no segmento de alta decoração.

Infomercial Century
Compartilhe esta publicação:
Divulgação/Century/Bula Jr.
Divulgação/Century/Bula Jr.

Julio Cesar Samorano Filho, CEO da Century

Acessibilidade


Quando assumiu o posto de diretor financeiro da Century, aos 25 anos de idade, Julio Cesar Samorano Filho sabia que teria que honrar o legado do pai no comando da empresa, uma indústria genuinamente brasileira especializada na fabricação de estofados. Não só do pai, mas de toda a família: há quatro gerações, os Samorano são conhecidos por fabricar móveis e estofados presentes em 16 países da América Latina e nos EUA. Por isso, Julio estudou o mercado durante um ano antes de ocupar o cargo – e lá chegou com uma decisão: reposicionar a companhia e elevar o portfólio do médio padrão vigente até então para a alta decoração.

Oito anos antes de assumir o comando, Julio saiu de sua cidade natal, Maringá (PR), aos 17 anos, para cursar administração na Eaesp-FGV, em São Paulo. Durante a faculdade, desenvolveu interesse pelo mercado de private equity, área que reunia suas duas paixões: finanças e empreendedorismo. Logo após a graduação, em 2014, foi aprovado no processo seletivo do Patria/Blackstone e passou a fazer parte do time de investimentos da gestora. Ao mesmo tempo, acompanhava os resultados da Century e projetava o futuro da empresa familiar. Em 2017, percebeu que havia uma oportunidade única no mercado de móveis e aceitou o convite de Julio pai para dirigir o setor financeiro da indústria.

Divulgação/Century/Bula Jr.
Divulgação/Century/Bula Jr.

Família Samorano: pai, filho e filha fazem parte da história da Century

Na época, o país estava iniciando um ciclo de redução da taxa de juros e de maior controle das contas públicas, um contexto que seria benéfico para o mercado imobiliário e, por consequência, de decoração. O consumo de produtos customizados era uma tendência cada vez mais forte, principalmente no nicho da alta decoração.

Essa visão de mercado foi fundamental para o jovem executivo construir a nova estratégia da Century, que a levaria a um novo patamar de crescimento. Entre 2017 e 2020, junto à irmã e sócia Nathalia Samorano, eles conduziram as mudanças necessárias para colocar a estratégia em prática. Concluíram o novo branding, investiram em tecnologia e automação e criaram um sistema de produção customizada capaz de produzir mais de 4,5 milhões de produtos diferentes em uma única fábrica.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Como resultado dessas iniciativas, em 2019 a Century atingiu um faturamento de R$ 55 milhões, 52% a mais em relação a 2016. A venda de produtos customizados de alta decoração representou 75% dessa receita, chancelando o novo posicionamento da empresa. No fim daquele ano, Samorano foi promovido a CEO. “Desde o início, meu pai me deu liberdade para tomar decisões, assumir novas responsabilidades e trazer minhas ideias. Ele soube lidar com a transição com sabedoria, e isso me ajudou muito”, diz Julio Cesar.

Em 2020, em seu primeiro ano à frente do negócio, enfrentou os desafios da pandemia. E com êxito. A Century atravessou 2020 mantendo seus postos de trabalho e alcançando o mesmo patamar de faturamento de 2019. O CEO atribui essa vitória ao fato de saber ouvir a equipe: “Até que você ocupe de fato esse cargo de liderança, é preciso ter humildade e cabeça aberta para fazer a transição, aprendendo com a equipe e entendendo os detalhes do negócio, que são muitos”. Aos 29 anos, ele celebra a marca dos R$ 100 milhões de vendas acumuladas nos últimos 12 meses – e se prepara para conduzir a empresa a um novo ciclo de crescimento.

  • Divulgação/Century
  • Divulgação/Century
  • Divulgação/Century
  • Divulgação/Century
  • Divulgação/Century
  • Divulgação/Century
  • Divulgação/Century
  • Divulgação/Century

*Infomercial é conteúdo patrocinado, de responsabilidade exclusiva dos autores, e não reflete a opinião da Forbes Brasil e de seus editores.

Compartilhe esta publicação: