Louis Vuitton e Riot Games fecham parceria para o mundial de “League of Legends”

Riot Games
Tradicional grife francesa faz vai criar uma valise para a taça da competição

Resumo:

  • É a primeira incursão da marca de luxo nos eSports;
  • Além da valise para a taça, a Louis Vuitton criará skins exclusivos para o jogo;
  • O mundial começa em 2 de outubro e terá a presença de 12 times do mundo todo. Entre eles, o Flamengo eSports, campeão da Segunda Etapa do Campeonato Brasileiro de League of Legends CBLoL (CBLoL) 2019, representando o Brasil.

A Taça do Invocador é o troféu dado ao time vencedor do Worlds 2019, o campeonato mundial do game “League of Legends”. Nesta edição, ele terá uma valise exclusiva feita pela Louis Vuitton, em uma parceria com a Riot Games, desenvolvedora do jogo. É a primeira vez que a grife de luxo participa de um campeonato de esportes eletrônicos.

LEIA MAIS: 5 formas de sua empresa embarcar no mundo dos games 

A marca já fez criações parecidas para a Copa do Mundo FIFA, a Copa de Mundo de Rugby e a Copa América de iatismo, mas nunca incursionou nos eSports. Também serão anunciadas em breve skins exclusivas (visuais dos personagens do game) e outros itens dentro do jogo que serão desenvolvidas pelo diretor artístico da coleção feminina da Louis Vuitton, Nicolas Ghesquière.

“Já faz tempo que a Louis Vuitton está associada aos troféus mais cobiçados do mundo, e aqui estamos hoje ao lado da Taça do Invocador. É maravilhoso fazer parte de um evento tão importante”, disse o presidente e CEO da empresa, Michael Burke.

O mundial começa em 2 de outubro e terá a presença de 12 times do mundo todo. Entre eles, o Flamengo eSports, campeão da Segunda Etapa do Campeonato Brasileiro de League of Legends CBLoL (CBLoL) 2019, representando o Brasil.

Competitivo nacional

As competições nacionais de “LoL”, CBLoL e o Circuito Desafiante (segunda divisão), acabaram no sábado (21). Ao todo, foram distribuídos pela Riot Games, em 2019, R$ 480 mil nas duas etapas da competição.

A Vivo Keyd, vice-colocada no Circuitão, venceu a CNB e-Sports, sétima colocada no CBLoL, por 3×1 na disputa pela permanência da elite do competitivo.

A final do 2º Split do CBLoL 2019, realizada em 7 de setembro, foi vencida pelo Flamengo por 3×2 contra a INTZ. O time carioca levou o prêmio de R$ 70 mil e o segundo colocado, campeão do 1º Split, em abril, levou R$ 40 mil.

A disputa aconteceu na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro, e teve público de 9.500 pessoas (os rubro-negros têm até torcida organizada, os Urubarons). Entrando nos eSports em 2017, já era a terceira final do time carioca, mas foi a primeira conquista do título.

VEJA TAMBÉM: Marvel e Riot Games firmam parceria para quadrinhos de “LoL” 

Para Roberto Iervolino, gerente-geral da Riot Games no Brasil, o competitivo nacional do game “está crescendo de forma extremamente positiva. Um indicador disso é a audiência que cresce a cada competição”.

Em média, a audiência da final no Rio foi de 320 mil pessoas, nos canais oficiais da Riot no YouTube e na Twitch (110 mil a mais que a Primeira Etapa). A disputa também foi transmitida pelo SporTV, mas até o fechamento desta matéria, os dados de audiência ainda não tinham sido computados. Na Primeira Etapa, em abril, a audiência média total das três formas de transmissão foi de 2,3 milhões de espectadores.

Circuito Desafiante

A segunda divisão da competição teve como campeã a Pro Gaming -que bateu a Vivo Keyd por 3×1 e faturou R$ 12 mil. A BBL, holding especializada em eSports, foi responsável pela transmissão e produção de conteúdo da competição. Em 2019, as partidas tiveram uma audiência média de 58 mil pessoas; no ano anterior, a média era de 18 mil a 20 mil.

Para Leo De Biase, CMO da empresa, o sucesso é fruto da parceria com a Riot, que enviou equipe técnica nos dias das competições e deixou a BBL ter autonomia na produção. “As duas empresas trabalham de forma parecida. Com mais qualidade de transmissão, aliado ao poder do ‘LoL’, conseguimos produzir conteúdos de qualidade nas redes sociais”, comenta De Biase.

A competição de acesso ao Circuito Desafiante, os playoffs, também ganharam mais visibilidade. Pela primeira vez, toda a competição foi transmitida, não só a final. Cerca de 25 mil telespectadores acompanharam a vitória da RED Academy sobre a Rensga Gaming por 3×2.

Veja, na galeria abaixo, alguns momentos marcantes das finais do 2º Split do CBLoL e do Circuito Desafiante:

  • O Cristo Redentor ganhou as cores do “LoL” na semana da final

  • A Jeunesse Arena recebeu 9,5 mil fãs para a grande final do CBLoL

  • Os Urubarons, torcida organizada, recebendo o time do Flamengo

  • A banda Far From Alaska fez a música “How Bad Do You Want It?” para a final da competição

  • Murilo “Takeshi” Alves anunciou sua aposentadoria durante a final. Ele defendeu a CNB, Keyd Star, paiN Gaming e encerrou a carreira na Team One

  • O time da INTZ que disputou a final foi composto por Rodrigo “Tay” Panisa; Diogo “Shini” Rogê; Bruno “Envy” Farias; Micael “micaO” Rodrigues; e Ygor “RedBert” Freitas

  • Leonardo “Robo” Souza; Lee “Shrimp” Byeong-hoon; Bruno “Goku” Miyaguchi; Felipe “brTT” Gonçalves e Han “Luci” Chang-hoon disputaram a final pelo Flamengo

  • “brTT” é o único jogador do CBLoL a conquistar cinco títulos

  • Natan “fNb” Braz; Yan “Yampi” Petermann; Bruno “Hauz” Ferreira; Humberto “Garo” Peixoto;e Willyan “Wos” Bonpam levaram a Pro Gaming ao título do CBLoL

  • Disputaram a final do Circuito Desafiante pela Vivo Keyd: Szépvölgyi “mumus100” Márió; Jesús Alberto “Grell” Loya; Júlio César “NOsFerus” Cruz;/Augusto “Klaus” Clauss; e Matheus “Professor” Leirião

  • Com a mesma escalação do Circuitão, os guerreiros voltaram a elite após o rebaixamento inédito

O Cristo Redentor ganhou as cores do “LoL” na semana da final

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).