Bancos brasileiros repactuaram R$ 479 bi em crédito no 1º semestre, aponta EY

GettyImages
GettyImages

As operações de crédito prorrogadas tiveram prazos entre 90 e 180 dias para o pagamento das parcelas

Os bancos brasileiros repactuaram R$ 479 bilhões em crédito nos primeiros seis meses de 2020, ultrapassando mais de 10% do total da carteira de crédito das instituições analisadas pela EY no relatório Performance do Setor Financeiro, divulgado hoje (5).

As operações de crédito repactuadas – parcelas de financiamentos/dívidas prorrogadas – tiveram prazos entre 90 e 180 dias para o pagamento das parcelas, segundo o documento. Entre 17% e 35% dos clientes postergaram as parcelas de débitos pela segunda vez.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

“Grande parte das repactuações (94%) são de clientes com rating entre AA e C, ou seja, clientes que, no máximo, possuem até dias 60 de atraso. A maioria destas operações também possui garantias atreladas, 63% na média não ponderada da nossa amostra. Os bancos que reportaram os histórico de relacionamento dos clientes que repactuaram indicaram um relacionamento médio de 14 anos”, afirma o relatório.

Dados do Banco Central (BC) apontam que entre 16 de março e 7 de agosto R$ 797 bilhões em parcelas de dívidas haviam sido prorrogadas, sendo os bancos públicos responsáveis pela maior valor das operações, enquanto os bancos privados responderam pelo maior número de contratos repactuados. As pessoas físicas solicitaram 87% das postergações, o equivalente a 55% do montante repactuado.

Os dados do BC consideram todas as operações do Sistema Financeiro Nacional. Já a EY analisou dados públicos de bancos bancos brasileiros com volume de ativos superior a R$ 900 bilhões que operam no Brasil: Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, Santander e Caixa Econômica Federal.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).