Airbus prevê melhora na entrega de motores no 2º semestre

A Airbus foi forçada a construir alguns jatos sem motores para manter as linhas de montagem em funcionamento no primeiro semestre.  

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

A Airbus foi forçada a construir alguns jatos sem motores para manter as linhas de montagem em funcionamento. 

Acessibilidade


A Airbus espera que os atrasos no fornecimento de motores que estão impedindo as entregas de aeronaves melhorem na segunda metade de 2022, disse hoje (18) o presidente-executivo Guillaume Faury.

A empresa foi forçada a construir alguns jatos A320neo de fuselagem estreita sem motores para manter as linhas de montagem em funcionamento, refletindo uma interrupção em menor escala observada em 2017, quando a Airbus foi forçada a construir dezenas de fuselagens sem motor apelidadas de “planadores”, enquanto esperava a chegada dos propulsores.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Achamos que teremos mais motores no segundo semestre”, disse Faury à Flightglobal em uma entrevista divulgada na abertura do Farnborough Airshow.

A Reuters informou em maio que a fabricante de motores CFM estava enfrentando atrasos de seis a oito semanas após problemas na rede de fornecedores e alguns distúrbios trabalhistas na França, mas espera recuperar a maior parte disso no início do quarto trimestre.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Controlada pela General Electric e pela francesa Safran, a CFM é a maior fabricante de motores a jato por unidades vendidas e alimenta três dos quatro jatos de fuselagem estreita, incluindo todos os 737 MAX, da Boeing, e cerca de metade dos A320neo, da Airbus.

A CFM concorre no A320neo com a Pratt & Whitney, cujas entregas dos motores também estão enfrentando atrasos.

Stan Deal, executivo-chefe da unidade de fabricação de aviões da Boeing, disse no domingo que os motores são a principal restrição. A Boeing disse na semana passada que atingiu uma taxa de produção de 31 jatos MAX por mês, mas ainda não se estabilizou nesse nível.

“Não é vantajoso para nós fabricar aviões sem motores, então vamos ajustar nosso ritmo… e trabalhar lentamente para trazer essa cadeia de suprimentos de volta e aumentar nossos preços”, disse Deal.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: