Vibra e Raízen avançam em acordos com startups de eletromobilidade

A transação marca a entrada da Vibra no negócio de eletromobilidade, com mecanismos de opção de compra, caso opte pela conversão das ações.

Da Reuters
Compartilhe esta publicação:
Ponto de recarga de veículos elétricos em Londres, Reino Unido
Ponto de recarga de veículos elétricos em Londres, Reino Unido

A transação marca a entrada da Vibra no negócio de eletromobilidade, com mecanismos de opção de compra, caso opte pela conversão das ações

Acessibilidade


A Vibra informou hoje (03) que fez um aporte de 5 milhões de reais na startup de recarga elétrica Easy Volt, cujos recursos podem ser convertidos no futuro em participação na sociedade.

A transação, que marca a entrada da Vibra no negócio de eletromobilidade, conta ainda com mecanismos de opção de compra, caso opte pela conversão das ações, explicou a companhia.

A negociação também mostra como as distribuidoras de combustíveis estão se posicionando diante da transição energética.

No mês passado, a Raízen, uma das maiores empresas do setor de distribuição de combustíveis, que atua também na produção de açúcar e etanol, anunciou investimento de 10 milhões de reais na startup Tupinambá Energia, que opera no desenvolvimento de soluções de recarga elétrica veicular e infraestrutura de eletro-abastecimento de ponta a ponta.

A EZVolt, parceira da Vibra, opera em nove Estados, atendendo veículos de passeio e frotas corporativas. Em sua rede de eletropostos, os clientes podem pagam recargas diretamente via aplicativo móvel.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Já a Tupinambá possui uma plataforma com mais de mil pontos de recarga mapeados, o que facilita a jornada dos motoristas, segundo a empresa.

A Vibra ressaltou que “pretende atuar na oferta de soluções de recarga de veículos elétricos, integrando soluções digitais e fornecimento de energia elétrica a partir de fontes renováveis tais como eólica e solar”.

A solução é semelhante à anunciada pela Raízen, que pretende integrar o fornecimento de energia renovável e soluções de abastecimento elétrico.

Compartilhe esta publicação: