Rússia manterá cotas de exportação de fertilizantes até o próximo ano

Em novembro, Moscou decidiu limitar as exportações de fertilizantes para ajudar a conter qualquer aumento nos preços dos alimentos em meio ao aumento nos preços do gás.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Roberto Samora/Reuters
Roberto Samora/Reuters

A Rússia é um grande produtor de fertilizantes, nutrientes essenciais para as safras e para o solo

Acessibilidade


A Rússia planeja continuar estabelecendo cotas para as exportações de fertilizantes durante o próximo plantio de grãos de inverno, previsto para este outono, e durante o próximo plantio de grãos na primavera de 2023, disse uma autoridade hoje (5).

A Rússia é um grande produtor de fertilizantes — nutrientes essenciais para as safras e para o solo.

Em novembro, Moscou decidiu limitar as exportações de fertilizantes nitrogenados e o complexo de fertilizantes contendo nitrogênio com cotas de  de dezembro a 31 de maio para ajudar a conter qualquer aumento nos preços dos alimentos em meio ao aumento nos preços do gás.

“Além da (disponibilidade de) sementes, a chave para o sucesso da campanha de semeadura é a disponibilidade de fertilizantes minerais. Nas quantidades certas e a preços acessíveis”, disse a vice primeira-ministra, Viktoria Abramchenko, nas redes sociais.

A Rússia é o maior exportador mundial de trigo e concorre principalmente com a União Europeia e a Ucrânia nesse mercado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O presidente Vladimir Putin disse hoje que a Rússia deve ficar de olho em suas exportações de alimentos para países hostis porque as sanções do Ocidente fomentaram uma crise global de alimentos e preços de energia.

Compartilhe esta publicação: