Custos de fertilizantes podem prolongar tensões globais por alimentos, diz FAO

Os custos crescentes dos insumos, ligados aos altos preços da energia e à interrupção do fornecimento, coincidiram com os preços recordes dos alimentos este ano

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Michaela Rehle
Michaela Rehle

Lavoura na Alemanha

Acessibilidade


A espiral de custos de insumos agrícolas como fertilizantes pode impedir os produtores de expandir a produção e piorar a segurança alimentar em países mais pobres que enfrentam contas recordes de importação, disse a agência de alimentos da Organização das Nações Unidas hoje (9).

Um índice de custos de insumos para os agricultores atingiu recorde e subiu mais do que os preços dos alimentos no ano passado, sugerindo preços baixos em termos reais para muitos agricultores, disse a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) em um relatório.

“As descobertas não são um bom presságio para uma resposta da oferta liderada pelo mercado que poderia conter novos aumentos nos preços dos alimentos para a temporada 2022/23 e possivelmente a próxima”, disse a FAO.

Os custos crescentes dos insumos, ligados aos altos preços da energia e à interrupção do fornecimento causados pela invasão da Ucrânia pela Rússia, coincidiram com os preços recordes dos alimentos este ano, conforme o índice global de commodities alimentares da FAO.

Espera-se que os altos preços aumentem a conta global de importação de alimentos em quase 3% este ano, para um recorde de US$ 1,8 trilhão, prevê a FAO.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No entanto, esperava-se que muitos países em desenvolvimento reduzissem os volumes de alimentos importados em resposta ao aumento dos preços. A FAO projetava que os países menos desenvolvidos reduziriam os volumes de forma tão acentuada que sua conta geral de importação também diminuiria.

Compartilhe esta publicação: