Kim Kardashian é criticada no Twitter por apropriação cultural

Getty Images / Taylor Hill
Usuários do Twitter usaram a hashtag #KimOhNo

Resumo:

  • Inúmeros tuítes criticaram Kim Kardashian após o lançamento de sua linha de lingerie, batizada de Kimono, por meio da hashtag #KimOhNo;
  • Não é a primeira vez que a empresária é acusada de apropriação cultural nas redes sociais.

Kimono, a nova linha de lingeries modeladoras de Kim Kardashian, está recebendo pesadas críticas no Twitter por explorar a cultura japonesa no registro da marca e pela falta de semelhança entre as roupas de baixo apertadas e a tradicional veste usada pelas orintais.

LEIA MAIS: Kim Kardashian anuncia programa que vai pagar “táxi” de ex-detentos para entrevistas de emprego

Usuários do Twitter de várias etnias protestaram contra as lingeries modeladoras da empresária por meio da hashtag #KimOhNo.

A consultora de cultura japonesa Yasuno Yoshizawa tuitou: “A lingerie é bonita, mas como mulher japonesa que ama usar o tradicional kimono, eu acho o nome dos produtos enganoso, já que não existe semelhança, e até mesmo culturalmente ofensivo, especialmente porque é um mero jogo de palavras. Por favor, reconsidere”.

Uma pesquisa no banco de dados de patentes e marcas registradas dos Estados Unidos revelou que a Kimonos Intimates Inc., marca de Kim Kardashian, registrou o pedido de um design específico da palavra, criado por seu marido, o rapper Kanye West.

Kim decidiu lançar a linha depois de tanto cortar e modificar lingeries de outras marcas para que se adaptassem às suas necessidades. Suas roupas de baixo são feitas para esculpir, uniformizar e levantar o corpo de quem as veste, segundo ela diz.

A empresária já havia sido acusada de apropriação cultural por usar tranças Fulani, um acessório indiano, gesto que foi interpretado por muitas pessoas como blackface – prática teatral dos atores que se coloriam com carvão para representar personagens afro-americanos -, de acordo com o “Los Angeles Times”.

VEJA TAMBÉM: Kim Kardashian estuda Direito após ajudar a reduzir pena de detentas

Veja, a seguir, alguns dos tuítes postados contra a empresária:

@YukoKato1701: A lingerie é bonita, mas como uma mulher japonesa que ama usar o tradicional kimono, eu acho que o nome enganoso, já que não existe semelhança entre as peças, e até mesmo culturalmente ofensivo, especialmente porque é um mero jogo de palavras. Por favor, reconsidere.”

 

@lili808: Minha avó no dia de seu casamento. Meu bisavô, que era empresário. Eles usaram seus kimonos com dignidade. É a cultura deles, não uma oportunidade para a sua marca. #KimOhNo

 

@vxxxria: Eu lembro que usava o kimono da minha mãe quando eu era pequena. Era tão grande que eu quase desaparecia nele, mas era sempre mágico! Eu sempre me senti uma princesa de um conto de fadas e ver isso agora me chateia de verdade #KimonoBody #KimOhNo

 

@MissWanderlust4: Um lindo kimono na mostra “Tale of Genji” no Met, não lingerie de Kim Kardashian #KimOhNo

 

@NotLikeYokoOno: Kim, tenho certeza de que sua linha de lingerie é bonita, mas, por favor, não use o nome de um lindo e tradicional vestuário japonês em suas roupas de baixo. Essa sou eu usando vários kimonos ao longo dos anos. Meu corte de cabelo pode não ser tradicional, mas meus kimonos com certeza eram! #KimOhNo

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).