Coleção de George Michael será vendida em leilão online

Getty Images
O leilão virtual da coleção de George Michael vai até 15 de março

Mais de 170 obras de arte da coleção particular de George Michael serão postas à venda em um leilão pela internet a partir de hoje (8) para arrecadar dinheiro para causas filantrópicas que o falecido cantor e compositor britânico apoiava.

LEIA MAIS: Pintura perdida de Caravaggio será leiloada na França

A coleção inclui trabalhos de membros destacados do movimento Arte Britânica Jovem, como Damien Hirst, Tracey Emin, Sarah Lucas e Michael Craig-Martin, que conquistaram fama nos anos 1990. Muitos deles eram amigos pessoais do cantor.

Entre os itens oferecidos no leilão virtual, que vai até 15 de março, e em um leilão noturno em 14 de março, ambos organizados pela casa de leilões Christie’s, estão obras em formol de Hirst e neons e bordados de Tracey Emin.

“O nome de George Michael repercute em fãs globalmente e simboliza o talento criativo pioneiro”, disse Paola Saracino Fendi, diretora-sócia e especialista em arte contemporânea da Christie’s de Londres, em um comunicado.

“A Coleção George Michael reflete este espírito revolucionário neste grupo dinâmico de artistas e uma dedicação às artes”.

Itens da coleção também serão exibidos ao público na Christie’s na próxima semana. As estimativas para as obras em oferta nos leilões variam de US$ 522 a US$ 1,96 milhão.

VEJA TAMBÉM: Galeria de Paris abre exposição imersiva de Van Gogh

George Michael, que morreu em 2016 aos 53 anos, foi alçado à fama no início dos anos 1980 como membro da dupla Wham! e mais tarde teve uma carreira solo de sucesso, vendendo mais de 100 milhões de discos em todo o mundo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).