Huawei tenta conquistar Brasil com seus smartphones

Getty
A Huawei, terceira maior fabricante de smartphones do mundo, lançou seu primeiro aparelho no Brasil em 2014, mas o modelo Ascend P7 encontrou pouca demanda e o projeto foi descontinuado.

A chinesa Huawei Technologies está pela segunda vez tentando conquistar o mercado brasileiro de smartphones, o quarto maior do mundo, lançando dois modelos sofisticados no fim deste mês após uma tentativa com aparelhos mais simples ter fracassado anos atrás.

LEIA MAIS: Huawei vê pouco impacto após acusações dos EUA

O movimento permitirá à Huawei avançar além do seu atual papel como fornecedora de equipamentos de rede para as operadoras de telefonia no Brasil, desafiando a sul-coreana Samsung Electronics e a Motorola, marca da Lenovo, que dominam o mercado local de smartphones.

“O Brasil é uma mercado com oportunidades muito significativas para a Huawei e temos um portfólio de produtos competitivo para satisfazer as expectativas de seus consumidores”, disse Ketrina Dunagan, vice-presidente de marketing da Huawei para as Américas, em comunicado enviado à Reuters.

Os planos da Huawei para o Brasil ressaltam o avanço de companhias chinesas em setores de tecnologia e consumo na América Latina, além do tradicional foco em commodities e infraestrutura.

O Brasil é um dos poucos mercados na América Latina em que os aparelhos da Huawei estão ausentes das prateleiras. A companhia atualmente comercializa seus smartphones em 13 países da região, frequentemente com participação de mercado de dois dígitos.

A Huawei, terceira maior fabricante de smartphones do mundo, lançou seu primeiro aparelho no Brasil em 2014, mas o modelo Ascend P7 encontrou pouca demanda e o projeto foi descontinuado.

Agora a companhia planeja importar dois aparelhos premium da linha recentemente lançada P30 Series, equipados com câmeras de alta resolução, informou a Huawei, sem entrar em detalhes antes do lançamento oficial previsto para 30 de abril.

“A estratégia comercial é completamente diferente desta vez porque a marca ainda não é bem conhecida pelos brasileiros”, disse uma fonte com conhecimento do assunto.

SAIBA TAMBÉM: Huawei abre processo contra o governo dos EUA

Se há cinco anos a Huawei tentou entrar no mercado brasileiro de smartphones como fornecedora para operadoras, que respondem por pouco mais de 10% das vendas de aparelhos no Brasil, desta vez a companhia busca parcerias com redes locais de varejo, que representam mais de dois terços das vendas, explicou a fonte.

A estratégia ainda prevê contratação de uma equipe local para montagem de aparelhos no Brasil futuramente, o que de acordo com a fonte protegeria os preços de oscilações cambiais.

A escolha de modelos mais sofisticados também deve ajudar a Huawei a ganhar a atenção de compradores cada vez mais exigentes.

“O mercado brasileiro atingiu um nível de maturidade e os fabricantes precisam trazer novidades para convencer os consumidores a trocar seus aparelhos por novos”, afirmou Renato Meireles, analista da empresa de pesquisa de mercado IDC Brasil.

As vendas de smartphones no Brasil devem cair 4,3% em 2019, para 42,5 milhões de unidades, de acordo com projeções do IDC Brasil, após retração de 6,8% em 2018.

“O consumo no primeiro semestre ainda será afetado pelas turbulências econômicas e políticas, mas as vendas tendem a melhorar no segundo semestre com a chegada de novos participantes no mercado”, disse Meireles.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).