Cisco tem lucro trimestral acima do esperado

O lucro líquido da Cisco subiu para US$ 3,04 bilhões, ou US$ 0,69 por ação

A Cisco Systems reportou ontem (15) lucro trimestral acima do esperado e divulgou previsão de vendas otimista para o período atual, citando que a exposição mínima às vendas na China e as mudanças em sua cadeia de fornecedores ajudaram a amortecer efeitos da disputa comercial entre Pequim e Washington.

LEIA MAIS: Descubra a história do presidente da Cisco do Brasil

Analistas têm se preocupado com o impacto da guerra comercial no negócio tradicional da Cisco de vender switches e roteadores porque alguns são fabricados na China.

No entanto, a empresa disse que trabalha há seis meses para mudar sua cadeia de fornecimento e que espera um impacto mínimo neste momento.

“Ainda temos alguma produção acontecendo na China. Mas reduzimos muito nossa exposição trabalhando com nossa cadeia de fornecimento e nossos fornecedores”, disse a vice-presidente financeira, Kelly Kramer, em teleconferência após a divulgação do resultado.

O lucro líquido subiu para US$ 3,04 bilhões, ou US$ 0,69 por ação, no terceiro trimestre encerrado em 27 de abril, ante US$ 2,69 bilhões, ou US$ 0,56 por ação, um ano antes.

Em uma base ajustada, a empresa teve lucro de US$ 0,78 por ação. Analistas esperavam US$ 0,77 por ação.

A receita total subiu cerca de 4%, para US$ 12,96 bilhões, superando as estimativas de US$ 12,89 bilhões.

VEJA TAMBÉM: Arista pagará US$ 400 mi à Cisco para encerrar processo

A companhia estimou um crescimento de receita no quarto trimestre de 4,5% a 6,5%, implicando US$ 13,33 bilhões no ponto médio, e lucro ajustado de US$ 0,80 a US$ 0,82 por ação. As previsões de analistas apontavam até então lucro de US$ 0,81 por ação e receita de US$ 13,29 bilhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).