Ibovespa recua com ajuste de bancos

Amanda Perobelli/Reuters
O Ibovespa fechou em queda de 0,14%, a 103.031,50 pontos

Após acumular alta de 3,5% nas últimas quatro sessões, o Ibovespa voltou a cair hoje (10), pressionado por fraqueza em Wall Street, com ações de bancos se ajustando após seguidas altas e varejistas liderando perdas após a chegada do serviço Amazon Prime ao Brasil.

LEIA MAIS: Ibovespa fecha acima dos 103 mil pontos pela primeira vez desde meados de agosto

O Ibovespa fechou em queda de 0,14%, a 103.031,50 pontos. O volume financeiro somou R$ 17,4 bilhões.

Em Wall Street, a queda nas ações de empresas de tecnologia pesou sobre os índices acionários, também afetados por preocupações sobre o crescimento global após dados econômicos chineses apontarem desaceleração da segunda maior economia do mundo. O S&P 500 teve oscilação positiva de 0,03%, Dow Jones avançou 0,3%, mas o Nasdaq recuou 0,04%.

O viés no exterior foi brevemente mitigado após a notícia de que a China deve passar a comprar mais produtos agrícolas dos Estados Unidos na esperança de obter um melhor acordo comercial, publicou o “South China Morning Post”, citando fonte.

No noticiário corporativo nacional, se destacou a chegada ao Brasil do serviço de assinatura Prime, da Amazon, pressionando os papéis de empresas do varejo.

Analistas do BTG Pactual avaliaram em nota a clientes que este é mais um movimento de expansão do negócio da Amazon no Brasil e que pode pressionar os papéis da B2W e Magazine Luiza no curto prazo.

Apesar disso, e de reconhecer o movimento e a força global da Amazon, a equipe do BTG ressaltou que varejistas locais vêm investindo em aumento de tráfego e sortimento de produtos em suas plataformas, além de um melhor nível de serviço, “os quais são, em nossa visão, três pilares fundamentais para se ter sucesso no e-commerce brasileiro e que fazem com que estejam mais bem preparados para a consolidação do mercado local”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).