Intel vê demanda por chips acima do esperado para 2020

Balanço
Acontecimento superou previsões do mercado para lucro e receita, o que fez as ações subirem 7% após o fechamento do mercado

A Intel confirmou hoje (23) a visão do mercado que a prolongada desaceleração da indústria de semicondutores está chegando ao fim e estimou receita e lucro acima das estimativas de analistas para este ano.

As vendas da companhia no segmento de centrais de processamento de dados saltaram 19% no quarto trimestre, ajudando-a a superar previsões do mercado para lucro e receita, o que fez as ações subirem 7% após o fechamento do mercado.

A Intel disse que a transição para uma nova geração de tecnologia de produção de chips está progredindo melhor que o esperado e que vai ampliar sua capacidade de produção de chips para computadores pessoais, um sinal de que os problemas de manufatura que atingiram o setor em 2019 estão começando a regredir.

VEJA MAIS: Quanto as gigantes de tecnologia gastaram com lobby em 2019

Depois de anos de aquisições fora do núcleo da atividade de chips de processamento, o presidente-executivo da Intel, Bob Swan, definiu meta para a empresa se tornar mais disciplinada, desacelerando investimentos em áreas como chips de memória e cortando negócios deficitários.

A Intel espera que a receita do ano fiscal de 2020 atinja US$ 73,5 bilhões, ante previsão média de analistas de US$ 72,25 bilhões, segundo dados da Refinitiv.

A receita com vendas para fabricantes de PCs subiu 2%, para US$ 10 bilhões no quarto trimestre, superando a expectativa média do setor de US$ 9,74 bilhões, segundo a FactSet.

A companhia teve alta de 8,3% na receita líquida, para US$ 20,21 bilhões, acima da expectativa média de analistas, de US$ 19,23 bilhões, segundo a Refinitiv.

Em termos ajustados, a Intel teve lucro por ação de US$ 1,52, ante previsão média de analistas de US$ 1,25.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).