Preços do petróleo recuam com investidores reavaliando riscos no Oriente Médio

Bruno Kelly/Reuters
Bruno Kelly/Reuters

O petróleo Brent recuava US$ 0,64, ou 0,93%, a US$ 68,27 por barril, às 9:05 (horário de Brasília)

Os contratos futuros do petróleo devolviam alguns ganhos de dias anteriores hoje (7), à medida que os investidores reconsideravam a probabilidade de impactos imediatos sobre a oferta no Oriente Médio após os Estados Unidos terem matado um importante general iraniano.

O petróleo Brent recuava US$ 0,64, ou 0,93%, a US$ 68,27 por barril, às 9:05 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía US$ 0,51, ou 0,81%, a US$ 62,76 por barril.

LEIA MAIS: Petróleo Brent toca US$ 70 o barril em meio a troca de ameaças entre Trump e Irã

Os preços subiram nas duas sessões anteriores, com o Brent alcançando seu maior nível desde setembro e o petróleo dos EUA subindo para seu patamar mais forte desde abril.

Os ganhos vieram na esteira de temores de uma escalada de conflitos e de uma possível interrupção da oferta de petróleo no Oriente Médio depois que um ataque com um drone em Bagdá matou Qassem Soleimani, líder da Força Quds iraniana. O Irã jurou buscar uma vingança severa.

“Ainda acreditamos que, na falta de retaliação ou de disrupções, os preços do petróleo vão tender a recuar durante o primeiro trimestre de 2020, com o mercado permanecendo bem-abastecido durante o primeiro semestre”, disseram analistas do ING em nota.

A consultoria Eurasia disse que o Irã provavelmente focará alvos militares norte-americanos ao invés de instalações petrolíferas. Segundo a Eurasia, não são descartadas ameaças contra embarcações comerciais ou infraestruturas de energia, mas a expectativa é que atividades nesse sentido não sejam “severas”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).