Coronavírus força FMI e Banco Mundial a adotarem formato virtual para Reuniões da Primavera

ReutersConnect/Yuri Gripas
As Reuniões de Primavera das instituições normalmente reúnem cerca de 10 mil autoridades governamentais, jornalistas, empresários e representantes da sociedade civil de todo o mundo

O Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, mencionando crescentes preocupações com o rápido crescimento do coronavírus, disseram hoje (3) que adotarão um “formato virtual” para as Reuniões da Primavera, em vez de se reunirem pessoalmente em Washington.

As Reuniões de Primavera das instituições, marcadas este ano para 17 a 19 de abril, normalmente reúnem cerca de 10 mil autoridades governamentais, jornalistas, empresários e representantes da sociedade civil de todo o mundo em uma área limitada, de dois quarteirões, em Washington, onde são localizadas as suas sedes.

LEIA MAIS: Xerox e HP trocam acusações conforme disputa por aquisição se intensifica

As instituições começaram a considerar a mudança, relatada pela Reuters pela primeira vez na semana passada, quando a doença continuou a se difundir rapidamente pelo mundo depois de surgir na China no final de dezembro.

Atualmente, há quase 91 mil casos em todo o mundo, incluindo 80 mil na China, e mais de 3.000 pessoas morreram. Infecções apareceram em 77 países e territórios fora da China, sendo a Argentina o mais recente país a relatar seu primeiro caso.

O surto de coronavírus está empurrando a economia mundial à sua pior desaceleração desde a crise financeira global há mais de dez anos, alertou a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) na segunda-feira.

A diretora administrativa do FMI, Kristalina Georgieva, e o presidente do Banco Mundial, David Malpass, afirmaram em um comunicado conjunto que seus objetivos eram servir efetivamente seus membros, garantindo a saúde e a segurança dos participantes e funcionários.

Eles disseram que as instituições aproveitarão os recursos da conexão virtual e relacionados à TI para realizarem consultas essenciais sobre políticas, enquanto irão continuar a compartilhar as análises do FMI e do Banco Mundial.

LEIA TAMBÉM: Um em cada cinco trabalhadores britânicos pode ser afastado do trabalho no pico do coronavírus

“Com esse formato adaptado, estamos confiantes de que nossos países membros poderão efetivamente se envolver em questões econômicas globais urgentes nessas Reuniões da Primavera”, disseram eles.

Um funcionário do FMI disse que uma possível exceção à mudança para as reuniões virtuais é que os 24 membros do Comitê Monetário e Financeiro Internacional ainda possam se encontrar presencialmente.

Os detalhes da reunião ainda estão sendo elaborados, disse o funcionário. O painel equivalente do Banco Mundial, o Comitê de Desenvolvimento, planeja se reunir em um formato virtual, disse um porta-voz do Banco Mundial.

A rápida disseminação do vírus elevou preocupações dentro do FMI e do Banco Mundial de que as interações próximas entre pessoas de seus 189 países membros nas Reuniões da Primavera poderiam contribuir inadvertidamente para o problema.

Após os ataques de 11 de setembro de 2001 em Nova York e Washington, o FMI e o Banco Mundial cancelaram suas reuniões anuais agendadas para o final daquele mês na capital dos EUA. As reuniões foram reagendadas para novembro de 2001 em Ottawa, no Canadá.

E TAMBÉM: Prima Foods pede registro para IPO

O estatuto de ambas as instituições declara que suas reuniões anuais de assembleias de governadores, normalmente realizadas no outono, devem ser realizadas presencialmente.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).