Renault estende parada das fábricas no Brasil até 3 de maio

ReutersConnect/Stephane Mahe
As quatro fábricas do complexo fabril da Renault em São José dos Pinhais (PR), que emprega cerca de 7.500 funcionários, estão paradas desde 25 de março

A Renault anunciou hoje (9) a prorrogação na parada de seu complexo fabril no Paraná até 3 de maio, ante prazo anterior em que tinha dado férias coletivas aos funcionários até 14 de abril.

“O sindicato da categoria informou que foi reprovada a possibilidade de colocar em ampla votação pelos colaboradores as medidas de flexibilidade previstas na MP 936, que instituiu o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, mesmo a empresa tendo proposto condições superiores às estabelecidas na medida provisória”, afirmou a montadora em comunicado.

LEIA MAIS: Caixa oferta carência para pessoas e construtoras no crédito imobiliário

O anúncio da Renault ocorreu no mesmo dia em que a rival General Motors afirmou que vai prorrogar a parada de suas fábricas no Brasil por pelo menos 60 dias a partir da segunda-feira (13).

A MP 936 autorizou a suspensão de contrato de trabalho por até 60 dias ou a redução de salários e jornada por até três meses, com o pagamento de compensação parcial pelo governo aos trabalhadores.

A legislação estabelecia que a suspensão poderia ser firmada por acordo individual com empregados que recebem até três salários mínimos (R$ 3.135) ou mais de dois tetos do Regime Geral da Previdência Social (R$ 12.202,12) e que tenham curso superior. Mas uma liminar concedida nesta semana pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, estabeleceu condicionantes para acordos individuais. O tema foi incluído na pauta do STF da próxima quinta-feira (16).

As quatro fábricas do complexo fabril da Renault em São José dos Pinhais (PR), que emprega cerca de 7.500 funcionários, estão paradas desde 25 de março.

LEIA TAMBÉM: Vale prevê antecipar quase R$ 1 bi em pagamentos para 3 mil fornecedores

A montadora afirmou que como os trabalhadores rejeitaram a oferta, o dia 15 de abril será considerado como não trabalhado a ser compensado futuramente, os dias 16 e 17 de abril serão antecipação dos feriados nacionais de Tiradentes e Independência do Brasil e o período 20 a 30 de abril será de férias coletivas. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).