AB Inbev está proibida de comercializar cervejas em Nova Déli

A polícia de Nova Déli está sondando um caso de sonegação fiscal envolvendo a AB Inbev, de acordo com um policial e um documento visto pela Reuters, um revés para a cervejeira e que envolve três anos de proibição na capital da Índia.

As autoridades locais barraram a venda das cervejas do maior grupo cervejeiro do mundo, em julho deste ano, porém, a companhia negou as alegações e recorreu da ordem. O processo seguiu com uma investigação que apurou que a marca SABMiller, adquirida pela AB InBev em 2016 por US$ 100 bilhões, costumava duplicar os códigos de barras das garrafas fornecidas aos varejistas, o que permitia o pagamento de menor valor de impostos.

A ordem de proibição do governo de Déli também clamava por uma ação maior contra a multinacional e um bar local por violação alegada à leis criminais como conspiração, traição e falsificação. O policial Anant Kumar Gunjan declarou à Reuters que os oficiais começaram a investigação após receber um pedido do governo da cidade, uma ação que poderia levar a acusações criminais.

“Nós estamos investigando e está em inquérito judicial”, declarou Gunjan. Ele acrescentou que a polícia iria conduzir sua própria investigação antes de abrir uma diligência formal. Em 6 de setembro a AB Inbev disse à Reuters em declaração que estava atenta ao “potencial de outra autoridade participar das alegações” criadas pela ordem de proibição do governo de Nova Deli.

“Não seria apropriado fazer mais comentários neste momento. Nós estamos comprometidos em operar com integridade e altos parâmetros éticos”, um porta-voz declarou, dizendo que as acusações datavam de 2016, quando a SABMiller ainda não pertencia a empresa.

As notícias da investigação policial irão acrescentar fatos a uma sequência de tragédias envolvendo a companhia na cidade. Em uma ação separada, a AB Inbev está enfrentando uma investigação sobre suspeita de fixação de preço pela SABMiller e outras marcas.

“A proibição tem apenas impacto financeiro, o caso policial pode ser uma dor de cabeça bem maior para a multinacional e pode causar ramificações mais vastas”, comentou Sandeep Chilana, um advogado local especializado em impostos e leis de bebidas alcoólicas.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).