Pesquisa mostra os motivos que levam candidatos a recusar ofertas de emprego

O levantamento apontou critérios como remuneração baixa e pouca oferta de benefícios

Martina Colafemina
Compartilhe esta publicação:

Os candidatos recusam novas propostas de emprego principalmente por conta de novas propostas dentro da mesma empresa, de acordo com levantamento da Intera

Acessibilidade


Um mapeamento realizado pela empresa de recrutamento Intera revelou que 35,46% das ofertas de emprego feitas em dezembro de 2021 foram recusadas. O levantamento foi feito com 900 candidatos de todo o Brasil, que participaram de cerca de 500 processos seletivos em 150 empresas. Os profissionais que mais desistem são os desenvolvedores, com uma taxa de 61,6%.

Os profissionais sêniores são os menos contratados: eles representam 59,4% das contratações e 40,6% deles recusam ofertas de empregos. Entre os  juniores, 81,8% são contratadas e 18,2% recusam as ofertas. Nas posições para cargos de nível pleno, 74,9% dos candidatos aceitam e 25,1% declinam. 

Uma das principais razões para as recusas é que o trabalho atual ofereceu uma contraposta e os candidatos optam pela permanência na empresa. O motivo foi apontado por 36,7% dos entrevistados. Ser aprovado em um outro processo seletivo que fazia mais sentido no momento foi a justificativa de 26,3% dos entrevistados.

Leia mais: Mindset exponencial: o que é e como aplicar às lideranças

Os dados também revelam que, para 18,72% dos candidatos, a proposta salarial era abaixo do esperado. Problemas pessoais (10,96%), benefícios que não são atrativos (5,94%) e a falta de propósitos que convencessem a continuidade no processo (2,28%) foram os outros motivos. “Algo que ficou muito nítido é a quebra de expectativa do talento pela falta de alinhamento da empresa que está contratando com relação à proposta financeira oferecida”, diz Felipe Beranger, responsável pelo estudo e pela área de Sucesso do Talento.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

 

Processos seletivos ágeis

Marcas que conseguem engajar com propósito e diversidade tiveram 71,71% dos aceites de profissionais nos processos seletivos. As intermediárias neste sentido receberam 57,76% das confirmações. As outras tiveram 38,18% de permanência nos processos seletivos até o fim.

Processos seletivos ágeis tendem a atrair mais talentos. Os que duram menos de 20 dias chegam a 70% de aceites. Os que duram 30 dias ou mais têm 50% de recusa.

Leia mais: Inscreva-se para a seleção da lista Under 30 2022

 

.

Compartilhe esta publicação: