Número global de mortes por coronavírus passa de 300 mil

Mike Segar/Reuters
Mike Segar/Reuters

Os Estados Unidos são responsáveis por mais de um quarto de todas as mortes

O número global de mortes pelo novo coronavírus passou de 300 mil ontem (14) e as infecções se aproximaram de 4,5 milhões, de acordo com uma contagem da Reuters.

Os Estados Unidos são responsáveis por mais de um quarto de todas as mortes. O Reino Unido e a Itália respondem por outros 10% a 11% cada, e França e Espanha por 9% cada.

LEIA MAIS: Vacina para coronavírus de Oxford mostra eficácia em estudo com macacos

O número de mortes ligadas à Covid-19 em apenas quatro meses é atualmente igual a cerca de três quartos da quantidade de pessoas que morrem anualmente de malária, uma das doenças infecciosas mais letais do mundo.

E, embora a trajetória atual esteja distante daquela da gripe espanhola de 1918, que infectou cerca de 500 milhões de pessoas e matou ao menos 10% dos pacientes, especialistas de saúde pública temem que os dados disponíveis estejam subestimando o verdadeiro impacto da pandemia.

A primeira morte de Covid-19 foi relatada no dia 10 de janeiro em Wuhan, na China. Foram necessários 91 dias para o número de mortes ultrapassar 100 mil, mas só mais 16 dias para chegar a 200 mil, segundo uma contagem da Reuters baseada em relatórios oficiais dos governos. Depois de mais 19 dias, a cifra foi de 200 mil para 300 mil óbitos.

O marco desolador de 300 mil mortes foi alcançado enquanto um ex-membro do governo dos EUA disse que o país pode enfrentar “o inverno mais sombrio” dos tempos recentes se não melhorar sua reação à pandemia.

“Nossa janela de oportunidade está se fechando”, disse Rick Bright, ex-diretor da Agência de Pesquisa e Desenvolvimento Biomédico Avançado, ao depor a um comitê da Câmara dos Deputados.

“Se não formos capazes de melhorar nossa reação agora, com base na ciência, temo que a pandemia piore e seja prolongada”, disse Bright, que disse ter sido retirado do cargo por ter expressado preocupação com o estado de prontidão, ao comitê. Ele foi transferido para outro posto no governo.

VEJA TAMBÉM: Vacina contra coronavírus é possível em cerca de um ano, diz agência da UE

Os EUA relataram mais de 85 mil mortes do novo coronavírus. Reino Unido e Itália comunicaram mais de 30 mil óbitos cada, e França e Espanha mais de 27 mil cada.

O Brasil tem o sexto maior número de mortos, com 13.993 óbitos. O país tem relatado uma média de quase 700 casos novos por dia na última semana.

As cifras de mortes na Ásia e no Oriente Médio têm se mantido consideravelmente mais baixas, apesar das nações densamente povoadas e dos padrões muitas vezes baixos dos sistemas de saúde, o que faz especialistas de saúde recearem que os números reais sejam muito mais altos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).