Lucro do Bank of America cai mais de 50% com impacto da pandemia

O lucro líquido aplicável aos acionistas ordinários caiu para US$ 3,28 bilhões, ou US$ 0,37 por ação

O Bank of America reportou hoje (16) uma queda de mais de 50% no lucro do segundo trimestre, mesmo reservando apenas cerca da metade que seus rivais separaram em provisões contra uma potencial inadimplência causada pela crise do coronavírus.

O lucro líquido aplicável aos acionistas ordinários caiu para US$ 3,28 bilhões, ou US$ 0,37 por ação, no trimestre encerrado em 30 de junho, ante US$ 7,11 bilhões, ou US$ 0,74 dólar, no ano anterior.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Analistas esperavam, em média, US$ 0,26 por ação de lucro ajustado, de acordo com a Refinitiv.

As provisões do banco incluem uma reserva de US$ 4 bilhões para cobrir as perdas esperadas com empréstimos, uma vez que se preparou para a pior recessão em gerações causada pela pandemia de coronavírus.

Três dos maiores bancos dos EUA disseram na terça-feira (14) que haviam reservado US$ 28 bilhões em provisões, lembrando que parte das consequências econômicas da pandemia ainda estão por vir.

“Os fortes resultados do mercado de capitais forneceram um importante contrapeso aos impactos relacionados à Covid-19 em nossos negócios de varejo”, disse o presidente-executivo, Brian Moynihan, chamando o trimestre de “o período mais tumultuado desde a Grande Depressão”.

O lucro líquido da unidade de mercados globais do banco teve alta de 81%, para US$ 1,9 bilhão.

A margem financeira (NII), que mede quanto os bancos podem ganhar com suas atividades de empréstimo, foi pressionada pela pandemia, conforme o Federal Reserve dos EUA reduziu as taxas de juros para níveis próximos de zero.

VEJA TAMBÉM: Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, e fique por dentro de tudo sobre empreendedorismo

O NII do banco caiu 11%, para US$ 10,8 bilhões.

O Bank of America é especialmente vulnerável a movimentos na taxa de juros por causa da composição de seu carteira. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).