Autoridades do Fed discutem papel de compra de ativos em reunião

REUTERS/Kevin Lamarque
REUTERS/Kevin Lamarque

Os participantes concordaram que as compras de ativos estão proporcionando acomodação para a economia

Os formuladores de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) discutiram, na reunião do Fomc deste mês, como as compras de ativos pela instituição poderiam ser ajustadas para fornecer mais suporte aos mercados e à economia, conforme ata do encontro divulgada nesta quarta (25).

Os participantes concordaram que as compras de ativos estão proporcionando acomodação para a economia depois que as condições do mercado se estabilizaram, de acordo com a ata da reunião de 4 a 5 de novembro.

Alguns participantes do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) disseram esperar que o Fed eventualmente prorrogue o prazo de vencimento dos títulos adquiridos, de acordo com as deliberações.

Vários dos formuladores de política monetária do Fed também observaram que há limites para a quantidade de apoio que o Fed poderia fornecer por meio de compras e expressaram preocupação com as consequências não intencionais, mostrou a ata.

Os membros do Fomc votaram para manter os juros estáveis ​​na reunião de novembro e repetiram sua promessa de fazer o possível para apoiar a recuperação econômica dos EUA.

Jerome Powell, chair do Fed, disse a repórteres após a reunião que as autoridades revisaram as opções para ajustar as compras de ativos pelo banco central e decidiram que o ritmo atual de US$ 120 bilhões por mês estava fornecendo uma quantidade adequada de apoio econômico.

No entanto, um recente surto de infecções por coronavírus e a iminente expiração de algumas das linhas de crédito de emergência do Fed, depois que o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, pediu ao Fed na semana passada para devolver os fundos não utilizados, podem exigir que o banco central busque agir mais cedo do que o planejado.

O pedido de Mnuchin surpreendeu os integrantes do Fed, os quais disseram que os programas fornecem um apoio útil para empresas e municípios. Os formuladores de política monetária do BC norte-americano podem se sentir pressionados a fornecer mais detalhes sobre seus planos futuros para compras de títulos quando se reunirem novamente em 15 e 16 de dezembro.

Alguns investidores já estavam elevando expectativas de que o Fed pode aumentar suas compras de títulos do governo ou ajustar o vencimento dos papéis adquiridos, a fim de impulsionar o apoio à economia após um ressurgimento das infecções por Covid-19.

O presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, disse na terça (24) não ver necessidade de ajuste nas compras de títulos pelo Fed após o recente sucesso de candidatas a vacinas contra o coronavírus, o que sugere que o fim da crise de saúde pode estar à vista.

O presidente do Fed de Nova York, John Williams, afirmou na terça que as compras apoiam os mercados e a economia e podem ser ajustadas se necessário. “Acho que elas estão servindo muito bem aos seus propósitos agora”, disse ele durante entrevista virtual ao Wall Street Journal.

Tanto Bullard quanto Williams disseram que o Fed poderia reiniciar os programas de empréstimos emergenciais mais tarde caso os mercados voltassem a sofrer estresse. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).