Preços do petróleo caem por estoques e novas preocupações de demanda

AntonPetrus/GettyImages
AntonPetrus/GettyImages

O ritmo lento de vacinação na UE que pode atrasar qualquer recuperação econômica da pandemia em uma das regiões mais atingidas

Os preços do petróleo recuaram hoje (16), no terceiro dia consecutivo de perdas, com estoques em alta nos Estados Unidos que se somavam a riscos para a recuperação da demanda após diversos países, como Alemanha e França, terem suspenso a aplicação de vacinas contra Covid-19.

O petróleo Brent recuava US$ 0,91, ou 1,32%, a US$ 67,97 por barril, às 8:08, no horário de Brasília. O petróleo dos Estados Unidos caía US$ 0,86, ou 1,32%, a US$ 64,53 por barril.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Alemanha, França e Itália planejam suspender aplicações da vacina da AstraZeneca depois de relatos de efeitos colaterais possivelmente sérios, embora a Organização Mundial de Saúde tenha afirmado que não houve uma associação direta com a vacina.

O movimento dos países elevou preocupações com o ritmo lento de vacinação na União Europeia, que pode atrasar qualquer recuperação econômica da pandemia em uma das regiões mais atingidas.

Já os estoques nos EUA estão crescendo devido a uma onda de frio no último mês, que parou operações de refinarias que agora levarão algum tempo para uma retomada total.

“A direção no curto prazo será definida pelos relatórios semanais de estoques dos EUA”, disseram analistas da corretora PVM em nota, acrescentando que a força do dólar contra outras moedas também está pesando sobre as cotações do petróleo. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).