Fluxo para criptomoedas atinge recorde de US$ 4,5 bilhões no 1º trimestre, diz Coinshares

montante de recursos representa um aumento de 11% em relação aos três últimos meses de 2020

Redação
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

O valor de mercado do bitcoin somou mais de US$ 1 trilhão

Acessibilidade


Os fluxos de investimento para fundos e produtos de criptomoedas atingiram recorde de US$ 4,5 bilhões no primeiro trimestre, indicando um aumento da participação institucional no setor, segundo dados da gestora de moedas digitais Coinshares, divulgados nesta terça-feira (6).

O montante de recursos do primeiro trimestre representa um aumento de 11% em relação aos três últimos meses de 2020, quando a cifra atingiu US$ 3,9 bilhões.

LEIA MAIS: As 10 maiores captações de risco em criptomoedas e blockchain

Os investimentos em criptomoedas, porém, desaceleraram no primeiro trimestre em relação ao quarto trimestre, quando o crescimento foi de 240%, segundo os dados. A Coinshares afirmou que isso “não é indicativo de uma tendência de desaceleração, uma vez que as taxas de crescimento trimestrais tendem a ser altamente variáveis”.

Ontem (5), o setor de criptomoedas atingiu um pico histórico de US$ 2 trilhões em valor de mercado. O valor de mercado do bitcoin somou mais de US$ 1 trilhão, com a moeda digital mantendo esse patamar por toda a semana.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Há muita animação e as pessoas estão tentando ver para onde vão as outras moedas, além do bitcoin”, disse Edward Moya, analistas sênior da plataforma Oanda.

O bitcoin recebeu o maior volume de investimentos no primeiro trimestre, US$ 3,5 bilhões, segundo os dados da Coinshares, seguido pela ethereum, que registrou US$ 765 milhões em investimentos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: