Equinor e Exxon preveem US$ 8 bilhões para desenvolver campo de Bacalhau no Brasil

O primeiro óleo do campo é previsto para 2024, com uma produção que deve atingir 220 mil barris por dia.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Campo de petróleo de Bacalhau, operado pela norueguesa Equinor, está previsto para 2024

Acessibilidade


A Equinor, a ExxonMobil e a Petrogal Brasil disseram hoje (01) que seguirão adiante com o desenvolvimento da descoberta de petróleo de Bacalhau, no Brasil, que deve demandar aportes de US$ 8 bilhões.

O primeiro óleo do campo, que será operado pela norueguesa Equinor, é previsto para 2024, e a produção deve atingir 220 mil barris por dia, disseram as empresas em um comunicado conjunto.

LEIA MAIS: Venda de diesel no Brasil tem recorde para abril, com alta de 27%, diz ANP

“As reservas recuperáveis estimadas para a primeira fase são de mais de um bilhão de barris de petróleo”, disse o vice-presidente da Equinor, Arne Sigve Nylund.

O ponto de equilíbrio (break even) para o campo está estimado em abaixo de US$ 35 por barril, disse a Equinor, cerca de metade do atual preço do petróleo no mercado internacional.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Equinor e a Exxon possuem cada uma 40% em Bacalhau, enquanto a Petrogal Brasil possui fatia de 20%. A estatal brasileira Pré-Sal SA também é sócia por meio de um acordo de partilha da produção previsto na regulamentação brasileira para áreas do pré-sal. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: