Forbes Radar: Pfizer, Carrefour, Iguatemi, Fleury e outros destaques corporativos

No Forbes Radar de hoje (24), o mercado amanheceu tranquilo e o destaque fica por conta da Jalles Machado que teve lucro líquido de R$ 170,4 milhões na temporada 2020/21, alta de 122,7% na comparação com o ciclo anterior.

No universo das aquisições, a Marfrig ampliou sua posição na América do Sul com a compra de uma unidade frigorífica na cidade Yby Yaú, no Paraguai, enquanto o Carrefour começou a refletir sobre o tamanho de suas subsidiárias internacionais, mas negou que tenha decidido vender ativos até o momento.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Jalles Machado (JALL3)

A Jalles Machado, uma das maiores produtoras de açúcar e etanol da região Centro-Oeste do Brasil, informou ontem (23) que teve lucro líquido de R$ 170,4 milhões na temporada 2020/21, aumento de 122,7% na comparação com o ciclo anterior.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado atingiu R$ 709,9 milhões, alta de 16,4% na mesma comparação, informou a empresa, que passou a ser listada no Novo Mercado da B3 ao longo da safra 20/21.

Os resultados foram impulsionados pelas vendas de açúcar, que somaram 325,4 mil toneladas, superando em 51% o volume registrado no período anterior. As vendas da commodity tiveram preço bruto médio de R$ 2.053,6/tonelada, alta de 14,7% em relação ao valor da safra anterior.

Marfrig (MRFG3)

A Marfrig Global Foods fez a aquisição de um terreno para a construção de uma unidade frigorífica na cidade Yby Yaú, no Departamento de Concepción, no Paraguai, disse ontem (23) a empresa em nota marcando a entrada da companhia em mais um país da América do Sul.

A intenção de construir uma unidade no país sul-americano já havia sido mencionada pela empresa, principalmente após a realização de uma parceria com a Associação Paraguaia de Produtores e Exportadores de Carne, anunciada em 2020. À época, a Marfrig disse que os investimentos no projeto poderiam chegar a US$ 100 milhões.

A expectativa é que a planta tenha capacidade para abater cerca de 1.200 cabeças de gado por dia e gere, aproximadamente, 6.000 empregos diretos e indiretos, contribuindo com a economia e desenvolvimento local.

Facebook (FBOK34)

O Comitê Judiciário da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos analisará um pacote de seis projetos de lei antitruste ontem (23), muitos deles visando frear grandes empresas de tecnologia, as Big Tech, com debate acalorado esperado em ambos os lados da questão.

Há uma onda de oposição dirigida aos projetos de reforma mais abrangentes, incluindo da poderosa Câmara de Comércio dos EUA, Amazon.com, Apple, Facebook e Google, da Alphabet.

O Facebook, por exemplo, argumentou que os projetos de lei subestimam a concorrência do exterior e “são uma pílula venenosa para a indústria de tecnologia da América em um momento em que nossa economia menos pode pagar”.

Cada um dos projetos de lei tem vários copatrocinadores democratas e republicanos, e cada um deles gerou oposição, ou pelo menos preocupação, de membros de ambos os partidos políticos. Oito deputados democratas escreveram à liderança da Câmara e do Comitê Judiciário na semana passada pedindo para adiar a votação.

Nestlé (NESN)

A Nestlé Purina, divisão de ração animal da empresa suíça Nestlé, anunciou ontem (23) investimento de cerca de R$ 1 bilhão para a construção de um novo parque industrial no estado de Santa Catarina, com foco na produção de ração para cães e gatos.

O anúncio reflete o potencial de um mercado que cresce a mais de 20% no país, e vem após a empresa de alimentos BRF ter divulgado uma aquisição na semana passada para avançar no setor.

A Nestlé Purina disse que tem aumentado seu faturamento em dois dígitos nos últimos três anos no país, após ter investido mais de R$ 500 milhões na unidade de Ribeirão Preto (SP). Outros R$ 120 milhões foram anunciados recentemente para expansão da operação.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Fleury (FLRY3)

O Fleury informou que segue atuando com apoio de um grupo de profissionais altamente especializados em tecnologia e segurança da informação, que estão avançando consistentemente nas soluções para a retomada gradual e segura dos serviços da Companhia.

No última terça-feira, a companhia foi atacada por um grupo de hackers que invadiram o sistema da empresa e solicitaram bitcoin como resgate.

“Paralelamente, também contamos com a atuação de empresa especializada em Quality Assurance, certificando esse processo de retomada”, anunciou o Fleury.

Caixa Seguridade Participacoes (CXSE3)

A Caixa Econômica Federal informou que sua subsidiária integral CAIXA Cartões Holding solicitou na noite de ontem (23) a autorização ao Banco Central para o aumento de participação acionária no capital social da Elo Serviços por meio de compra de ações. Caso aprovado, a participação acionária passará de 36,8% para 41,4%.

Esse aumento de participação se dará com o pagamento de R$ 61 milhões.

CSU (CARD3)

A CSU anunciou nesta ontem (23) a entrada no mercado de BaaS (banking as a service), provendo infraestrutura de serviços financeiros para empresas de diversos setores.

Segundo o diretor-presidente da companhia, Marcos Leite, o BaaS movimentará cerca de R$ 8 bilhões nos próximos 5 anos no país e a empresa investirá R$ 150 milhões para ter uma participação relevante neste setor por meio da unidade Blue C.

A Blue C usará o modelo white label, vendendo serviços de infraestrutura bancária para terceiros, que aplicarão suas próprias em produtos como contas digitais para pessoas físicas e empresas, além de crédito, câmbio, seguros, investimentos e adquirência.

Carrefour (CRFB3)

O Carrefour afirmou que começou uma “reflexão” sobre o tamanho de suas subsidiárias internacionais, mas negou que tenha decidido vender ativos.

Uma porta-voz do Carrefour fez o comentário depois que a revista semanal francesa Challenges publicou que o Carrefour está planejando vender subsidiárias na Polônia e em Taiwan e que concedeu mandato à KPMG para auditá-las.

CBA

A CBA (Companhia Brasileira de Alumínio) informou que o intervalo de preços do seu IPO está entre R$ 14 e R$ 18. Considerando o preço médio de R$ 16 e a oferta-base de 125 milhões de ações, a companhia pode levantar cerca de R$ 2 bilhões.

Metade do montante será primária, quando os recursos vão para o caixa da companhia, já os outros 50% será secundária, ou seja, ficará com a Votorantim, acionista vendedora.

A companhia ainda pode contar com lote adicional de 20% da distribuição inicial (25 milhões de ações) e lote suplementar de 18,7 milhões de ativos.

Vale (VALE3)

A Vale anunciou que os dividendos tiveram o valor ajustado para R$ 2,18 por ação. A companhia informou que o aumento é fruto do programa de recompra de ações anunciado em abril. A data da remuneração manteve em 30 de junho.

Pfizer (PFIZ34)

A Pfizer anunciou hoje (24) o dividendo de US$ 0,39 do terceiro trimestre de 2021. O pagamento ocorrerá em 7 de setembro. Os detentores que terão remuneração devem estar registrados no fechamento de 30 de julho.

Iguatemi (IGTA3)

A Iguatemi informou que irá emitir R$ 500 milhões em debêntures e que vai utilizar o montante para reforçar o capital de giro e para alongar as dívidas.

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).