Apesar de IPO abaixo do esperado, fundador da empresa de jogos sul-coreana Krafton se torna bilionário

O empresário entrou para o clube dos mais ricos apesar de as ações caírem em sua estreia na Bolsa por causa das pressões regulatórias chinesas

John Kang
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Chang Byung-gyu viu seu patrimônio líquido mais do que triplicar, para US$ 2,9 bilhões, após o IPO

Acessibilidade


Chang Byung-gyu, fundador da desenvolvedora de jogos online sul-coreana Krafton, viu seu patrimônio líquido mais do que triplicar, para US$ 2,9 bilhões, depois que sua empresa estreou na Bolsa na última terça-feira (3).

As ações da Krafton fecharam a 454.000 won (US$ 395) na Bolsa da Coreia, abaixo da faixa de preço determinada no processo de IPO (Oferta Pública Inicial), de 498.000 won (cerca de US$ 428,28, segundo câmbio atual). No mês passado, a empresa cortou seu preço-alvo em cerca de 10%, depois que o regulador financeiro do país pediu à empresa para revisar seu prospecto, devido a preocupações de que sua avaliação seria muito alta. Temores recentes de uma restrição regulatória aos jogos online na China, importante mercado para a Krafton, também diminuíram o entusiasmo dos investidores.

Apesar da queda, a companhia por trás do popular jogo PlayerUnknown’s Battlegrounds (PUBG) tem uma capitalização de mercado de 22,2 trilhões de won (US$ 19,3 bilhões), com base no preço das ações da terça da semana passada, mais do que qualquer outro desenvolvedor de jogos listado na Coreia do Sul. O concorrente NCSoft tem uma capitalização de mercado de 17,9 trilhões de won (cerca de US$ 15,4 bilhões), enquanto o Netmarble está em 11,6 trilhões de won (cerca de US$ 9,9 bilhões).

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Aos 48 anos, Chang é o presidente da Krafton e seu maior acionista, com cerca de 14% das ações. Sua esposa, Jung Seung-hye, é dona de quase 1% da companhia. A Forbes estima que o patrimônio líquido do casal soma US$ 2,9 bilhões, ante US$ 990 milhões pouco antes do IPO. Chang entrou pela primeira vez na lista das 50 pessoas mais ricas da Coreia do Sul em 2019, com uma fortuna de US$ 890 milhões. Ele se tornou um bilionário no início deste ano e estreou na lista dos Bilionários do Mundo da Forbes em abril.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Krafton arrecadou cerca de 4,3 trilhões de won (US$ 3,8 bilhões) em sua estreia na Bolsa. Foi a segunda maior oferta pública inicial de todos os tempos na Coreia, ficando atrás apenas do IPO de 4,9 trilhões de won da Samsung Life Insurance, em 2010. A empresa afirma que planeja usar a maior parte dos recursos para adquirir desenvolvedores de jogos.

Outras empresas de jogos online recentemente fizeram aquisições consideráveis, impulsionados pelas restrições de circulação e distanciamento social na pandemia, que deixaram mais pessoas em casa por mais tempo. Na semana passada, a Netmarble anunciou que está comprando a SpinX Games de Hong Kong por US$ 2,2 bilhões. Em julho, a gigante chinesa Tencent, que é a segunda maior acionista da Krafton com uma participação de 13,58%, afirmou que está adquirindo a fabricante britânica de jogos Sumo em um negócio de US$ 1,3 bilhão.

Com sede em Seongnam, ao sul de Seul, a Krafton relatou que sua receita aumentou 53,6%, chegando a 1,67 trilhão de won (US$ 1,4 bilhão) em 2020, enquanto a receita líquida dobrou para 556,3 bilhões de won (US$ 471 milhões). Quase toda a receita (96,5%) veio de sua série blockbuster PUBG, lançada pela primeira vez em 2017. A versão para smartphones do jogo foi baixada mais de 1 bilhão de vezes, tornando-se o aplicativo de jogo mais baixado em mais de 150 países, de acordo com o prospecto de IPO da Krafton, citando dados da empresa de pesquisa Sensor Tower.

Chang, que possui um mestrado em ciência da computação pelo Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia, fundou a Krafton (originalmente chamada de Bluehole) em 2007. Anteriormente, ele fundou e liderou a startup de mecanismos de pesquisa 1noon em 2005 e a vendeu para a empresa coreana de internet NHN um ano depois, por US$ 36,5 milhões.

Além de Chang, há seis outros bilionários coreanos do setor de videogames na lista dos Bilionários do Mundo deste ano: Kim Jung-ju, da Nexon (patrimônio líquido: US$ 13,3 bilhões); Kwon Hyuk-bin, da Smilegate (US$ 6,7 bilhões); Kim Taek-jin, da NCSoft (US$ 2,9 bilhões); Bang Jun-hyuk, da Netmarble (US$ 2,3 bilhões); Lee Joon-ho, da NHN Entertainment (US$ 1,7 bilhão); e Kim Dae-il, do Pearl Abyss (US$ 1,2 bilhão).

A Coreia do Sul, país que tem uma internet com as maiores velocidades do mundo, foi um dos primeiros desenvolvedores de jogos online multiplayer. A NCSoft, por exemplo, lançou em 1998 um jogo chamado Lineage. Sua versão para smartphones, Lineage M, é um dos jogos mais lucrativos do mundo. Em 2003, a Nexon lançou o MapleStory, um multiplayer com mais de 180 milhões de usuários registrados em todo o globo, que foi pioneiro no modelo free-to-play em que os usuários jogam gratuitamente, mas pagam por itens virtuais e acessórios.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: