Delta Airlines vai cobrar US$ 200 por mês a mais por plano de saúde de funcionários não vacinados

Segundo CEO, cada internação hospitalar por Covid-19 custou à empresa, em média, US$ 40 mil por pessoa.

Jonathan Ponciano
Compartilhe esta publicação:
Associated Press
Associated Press

Funcionários não vacinados também serão obrigados a usar máscaras em ambientes fechados e fazer testes semanais

Acessibilidade


A partir de 1º de novembro, a Delta Airlines começará a cobrar dos seus funcionários não vacinados contra a Covid-19 e inscritos no plano de saúde da empresa uma sobretaxa mensal de US$ 200 para cobrir os custos associados ao tratamento da doença, disse o CEO Ed Bastian aos funcionários em um comunicado ontem (25), em um movimento pensado para encorajar mais funcionários a serem vacinados.

No documento, Bastian disse que a cobrança “será necessária para lidar com o risco financeiro que a decisão de não se vacinar cria” para a empresa, acrescentando que o custo médio de internação hospitalar por Covid-19 custou à Delta US$ 40 mil por pessoa.

LEIA MAIS: Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O presidente da Delta também afirmou que os funcionários não vacinados serão imediatamente obrigados a usar máscaras em ambientes fechados até que as taxas de transmissão da Covid-19 se estabilizem e, a partir de 12 de setembro, os empregados norte-americanos não vacinados também serão obrigados a fazer testes semanais de Covid-19.

Bastian não chegou a obrigar os funcionários a se vacinarem, apesar de outras companhias aéreas, como a United e a Frontier, terem feito essa exigência. A empresa, que empregou cerca de 74 mil pessoas no ano passado, diz que 75% dos funcionários foram vacinados.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Após o anúncio desta semana de que a Food and Drug Administration [equivalente à Anvisa nos EUA] concedeu a aprovação total para a vacina Pfizer, a hora de se vacinar é agora”, disse Bastian aos funcionários ontem, aludindo à decisão regulatória que deu fundamento para medidas que obrigam a vacinação. “Podemos ter certeza de que a vacina Pfizer é segura e eficaz e passou pela mesma revisão rigorosa de medicamentos aprovados para o tratamento de câncer e doenças cardíacas.”

Embora a Delta seja a primeira entre as grandes companhias aéreas a começar a cobrar mais de funcionários não vacinados pelo plano de saúde, ela não é a primeira empresa a fazer isso e certamente não será a última. Os empregadores começaram a impor sobretaxas, normalmente entre US$ 20 e US$ 50 por mês, a trabalhadores não vacinados na tentativa de combater o aumento dos custos dos planos, disse a consultoria de benefícios Mercer à Forbes no início deste mês, observando que o interesse pela prática aumentou nas últimas semanas. Segundo a empresa, vários empregadores já cobram sobretaxas com o mesmo objetivo de funcionários fumantes, por exemplo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: