Jalles Machado reverte prejuízo e tem lucro no 1º trimestre de 2021/22

A companhia teve lucro de R$ 115,7 milhões no período, ante prejuízo de R$ 16,9 milhões no anterior

Redação
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A Jalles Machado teve lucro líquido de R$ 115,7 milhões no primeiro trimestre da temporada 2021/22, revertendo prejuízo de R$ 16,9 milhões, obtidos no mesmo período da safra anterior, conforme balanço divulgado ontem (16).

A companhia também afirmou que em relação à possibilidade de quebra de safra devido ao menor regime de chuvas e geadas na região centro‐sul, os canaviais conseguiram escapar de prejuízos graças às áreas irrigadas.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Estamos tranquilos em afirmar que, devido à capacidade de irrigação, que cobre 56,7% do total da área, e ao bom regime de chuvas, os canaviais da Jalles Machado não foram afetados.”

A empresa, uma das maiores produtoras de açúcar e etanol do Centro-Oeste do Brasil, ainda ressaltou que bateu recorde na moagem de cana-de-açúcar para um primeiro trimestre, com 2,11 milhões de toneladas, crescimento de 17%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) ajustado para os últimos doze meses somou R$ 909,6 milhões, alta de 37,7%.

A companhia disse que devido à continuidade da recuperação no preço do etanol durante o primeiro trimestre da safra optou por uma estratégia diferente da adotada historicamente e o biocombustível foi comercializado, em vez de ir para estoque.

“Com isso, aumentamos 64,7% a comercialização que, somada a maiores preços no mercado, contribuíram para ao aumento de 91,1% na receita bruta do trimestre”, afirmou a empresa no balanço. O faturamento bruto atingiu R$ 462,5 milhões no trimestre.

A receita líquida alcançou R$ 378,5 milhões, aumento de 86,8% ante o primeiro trimestre do ciclo anterior.

A qualidade do produto colhido, medida com base no índice de açúcar total recuperável (ATR campo), foi de 117,2 quilos por tonelada, evolução de 4,7% quando comparado com o um ano antes.

O mix de produção ficou em 43% para açúcar, ante 42,6% no primeiro trimestre da safra passada, o que a companhia classificou como uma alteração sem grande relevância.

A fabricação de etanol atingiu 90,2 milhões de litros, alta de 20,8%, enquanto a produção de açúcar atingiu 100,9 mil toneladas, aumento de 21,7%. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: