Ibovespa abre em leve alta após nova redução na expectativa do PIB para 2022

Dólar cai com os investidores de olho nas negociações entre Joe Biden e Xi Jinping.

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em alta abertura do pregão de hoje (16), com ganhos de 0,40%, a 106.755 pontos perto das 10h10, horário de Brasília. O mercado doméstico repercute o resultado negativo do IBC-Br e a nova redução na expectativa do PIB para 2022. No cenário internacional, os investidores estão de olho nas negociações entre o presidente dos EUA, Joe Biden, e o líder chinês, Xi Jinping.

O dólar caia 0,24% ante o real. A moeda era negociada a R$ 5,4450.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), registrou queda de 0,27% em setembro em relação a agosto, segundo dado dessazonalizado divulgado pelo BC.

E, de acordo com a pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central, os especialistas passaram a projetar crescimento econômico de menos de 1% em 2022, ao mesmo tempo que deram sequência ao aumento nas expectativas para a inflação.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O levantamento mostrou que a expectativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) no ano que vem caiu pela sexta semana seguida e chegou a 0,93%, de 1,00% na semana anterior. O cenário para este ano também piorou, com o crescimento econômico sendo estimado agora em 4,88%, de 4,93% antes.

Já a projeção para a inflação em 2021 na pesquisa com uma centena de economistas aumentou pela 32ª vez seguida, e o mercado vê agora alta do IPCA de 9,77%, de 9,33% antes. Para 2022 a conta subiu a 4,79%, de 4,63%.

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) registrou em novembro alta de 1,19%, depois de cair 0,31% no mês anterior, refletindo a disparada dos preços dos combustíveis, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, registrou em novembro alta de 1,31%, depois de ter caído 0,77% no mês passado.

As vendas no varejo brasileiro recuaram 0,8% em outubro frente ao mesmo mês do ano passado, em dados que descontam a inflação, mostrou nesta terça-feira o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), que acompanha 1,3 milhão de varejistas credenciados à empresa de meios de pagamentos. O resultado interrompe seis meses seguidos de crescimento.

Mercados internacionais

Nos Estados Unidos, temores sobre inflação estão pesando sobre os mercados após o Índice de Preços ao Consumidor, relativo a outubro, indicar a maior alta anual em mais de 30 anos.

Na tarde de ontem (15), o presidente americano Joe Biden assinou a lei que estabelece o pacote de infraestrutura de US$ 1 trilhão, que inclui financiamento para transporte, banda larga e serviços.

Na Ásia, as ações de Xangai fecharam em baixa nesta terça-feira, com os papéis de defesa liderando as perdas. O Hang Seng, de Hong Kong, valorizou 1,27%; e o BSE Sensex, de Mumbai, fechou o dia em baixa de 0,65%. Já na China continental, o índice Shanghai ganhou 0,02%; e no Japão, o índice Nikkei avançou 0,11%.

Na Europa, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 2,2% no terceiro trimestre sobre os três meses anteriores, informou a agência de estatísticas da União Europeia nesta terça-feira, confirmando a estimativa do final de outubro.

A Eurostat informou que a economia nos 19 países que usam o euro avançou 3,7% em relação ao terceiro trimestre de 2020, também em linha com a previsão.

O crescimento trimestral entre julho e setembro foi mais alto na Áustria, de 3,3%; na França, a 3,0%; e em Portugal, com expansão de 2,9%.

Por lá, as bolsas operam sem direção definida. O Stoxx 600 ganhava 0,32%; na Alemanha, o DAX recua 0,82%; o CAC 40 em alta de 0,44% na França; na Itália, o FTSE MIB cai 0,01%; enquanto o FTSE 100 tem valorização de 0,07% no Reino Unido.

Commodities

Os contratos futuros do carvão metalúrgico da China caíram mais de 9% nesta terça-feira, ampliando as perdas pela terceira sessão consecutiva em meio ao aumento da oferta de carvão e da demanda morna nas usinas de coque.

A produção de carvão do país em outubro saltou 4% em uma comparação anual, para 360 milhões de toneladas, e ainda está crescendo, garantindo o fornecimento estável do material para o período inverno-primavera.

Os futuros do minério de ferro de referência caíram 1,1%, para 541 iuanes por tonelada. O minério de ferro spot 62% para entrega na China subiu US$ 1, para US$ 91 a tonelada, de acordo com a consultoria SteelHome.

Um movimento de alta do mercado de petróleo pode perder força conforme os preços que atingiram máximas de três anos no mês passado ajudam a impulsionar a produção global, especialmente nos Estados Unidos, disse a IEA (Agência Internacional de Energia) nesta terça-feira.

Em relatório mensal, a agência afirmou que a produção dos EUA, apesar de subir, não retornará aos níveis pré-pandêmicos até o final do ano que vem.Por volta das 10 horas da manhã, os futuros do petróleo Brent subia 0,66%, para US$ 80,25.

Compartilhe esta publicação: