Ibovespa fecha em queda pressionado por commodities e temores sobre Ômicron

Segundo a OMS, a variante Ômicron está se espalhando mais rápido do que a Delta e infectando pessoas já vacinadas.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa fechou hoje (20) em baixa de 2,03%, a 105.019 pontos, em linha com as bolsas internacionais. O índice foi pressionado principalmente pelos papéis da Vale (VALE3) e da Petrobras (PETR3 e PETR4), que recuaram 1,12%, 1,92% e 2,86%, respectivamente, na esteira da queda dos preços das commodities no exterior.

“O mundo está preocupado com novas restrições de transporte, [com a possibilidade de] pessoas não poderem se movimentar e também com o crescimento global”, comenta Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial Investimentos, sobre o impacto da Ômicron. “Se não tem demanda de petróleo, por exemplo, o preço do petróleo acaba caindo.”

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Segundo o presidente da OMS (Organização Mundial de Saúde), Tedros Ghebreyesus, a variante Ômicron está se espalhando mais rápido do que a Delta e infectando pessoas já vacinadas. Diversos países europeus e o Reino Unido já avaliam a possibilidade de restrições durante os feriados de fim de ano, preocupando investidores.

Entre os destaques positivos do dia estão os papéis da Minerva (BEEF3), Eneva (ENEV3) e JBS (JBSS3), que registraram avanços de 1,12%, 1,29% e 1,43%, respectivamente. Por outro lado, a CVC (CVC3) lidera as quedas a 8,76%, prejudicada pelas notícias sobre a variante Ômicron e pela suspensão das operações da concorrente ITA.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Em Wall Street, os índices encerraram o dia em queda. O Dow Jones cedeu 1,23%, a 34.932 pontos; o S&P 500 recuou 1,14%, a 4.568 pontos; e o Nasdaq registrou perdas de 1,24%, a 14.980 pontos.

O tom pessimista da sessão foi ampliado pela decisão do senador norte-americano Joe Manchin que afirmou ontem (19) que não apoiará o pacote de investimentos de US$ 1,75 trilhão do presidente norte-americano, Joe Biden. O projeto é a pedra angular da agenda legislativa do democrata.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou em um comunicado que a suspensão das negociações por parte de Manchin representaria uma “reversão repentina e inexplicável de sua posição e uma violação de seus compromissos com o presidente e com os seus colegas na Câmara e no Senado.”

Nove dos 11 principais setores do S&P 500 registraram queda neste pregão, com o setor financeiro liderando as perdas a 1,90%.

O dólar fechou em alta de 1,00%, negociado a R$ 5,7410 na venda, a máxima dos últimos nove meses. A moeda é alavancada pelo clima arisco no exterior, mas também por incertezas sobre o Orçamento de 2022, que ainda precisa ser aprovado pelo Congresso. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: