Saiba quem são os TikTokers mais bem pagos do momento

As celebridades com maior receita da plataforma arrecadaram US$ 55,5 milhões em 2021, um aumento de 200% em relação ao ano anterior .

Abram Brown
Compartilhe esta publicação:

Com 133 milhões de seguidores, Charli D’Amelio é a pessoa mais popular do TikTok (Crédito: Getty Images)

Acessibilidade


No ano passado, os ganhos das maiores estrelas do TikTok saltaram, impulsionados em parte por seus esforços para ampliar sua fama além da plataforma. É o caso das irmãs Charli e Dixie D’Amelio, no topo da nossa lista das TikTokers de maior renda.

Trazendo muitas comparações com as irmãs Kardashian, elas agora têm sua própria série na plataforma de streaming Hulu, chamada “The D’Amelio Show”. A série estreou em setembro e foi renovada por mais uma temporada dois meses depois. Em dezembro, Dixie se apresentou no Madison Square Garden e em nove outros locais para a série de shows Jingle Ball ao lado de Ed Sheeran e dos Jonas Brothers.

Juntas, as irmãs também têm uma marca lucrativa, Social Tourist, uma joint venture com a Hollister disponível em cerca de 500 lojas da varejista. Tudo isso ajudou a elevar seus menos de US$ 7 milhões para US$ 27,5 milhões em um ano. Enquanto isso, Addison Rae estrelou um filme da Netflix, “Ele É Demais”, e assinou um novo contrato para vários filmes com a plataforma. Josh Richards também apareceu em um filme da Netflix, “Under the Stadium Lights”, e começou sua própria produtora, CrossCheck Studios, uma joint venture com a equipe de produção de Mark Wahlberg.

Ao todo, as estrelas mais bem pagas do TikTok ganharam coletivamente US$ 55,5 milhões em 2021, um aumento de 200% em relação à última vez que contamos seus salários, em 2020. E embora tenham desviado sua atenção do TikTok, elas ainda ganham muito de seu dinheiro – de 30% a 50% – por conteúdo patrocinado, em que uma empresa paga por uma postagem de publicidade de seus produtos na conta de mídia social de um influenciador.

Como o TikTok cresceu para mais de 1 bilhão de usuários em todo o mundo, empresas como Amazon, Louis Vuitton e McDonald’s compram esses anúncios. Estrelas do TikTok cobram até meio milhão de dólares por uma única postagem, embora a maioria geralmente ganhe uma média de US$ 100 mil a US$ 250 mil, mais do que o dobro das taxas da lista anterior em 2020.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os TikTokers entendem o público que esses anunciantes desejam alcançar porque eles mesmos têm quase a mesma idade. Todas as pessoas citadas na lista têm menos de 25 anos. Outra verdade universal sobre o TikTok: lá, o estrelato e o dinheiro podem ir e vir rapidamente, como evidenciado por três recém-chegados a esta lista: Bella Poarch, Avani Gregg e Kris Collins.

Charli D’Amelio

Ninguém é maior do que Charli, que tem o maior número de seguidores no app (133 milhões) e uma quantidade cada vez maior de potenciais patrocinadores. Ela já cobriu o básico – patrocínios de publicidade da Invisalign, cosméticos Morphe e Dunkin Donuts – e muito mais.

No início de 2021, a Hollister lançou sua joint venture, Social Tourist, com Charli e sua irmã, Dixie. Fran Horowitz, CEO da empresa-mãe da Hollister, apontou a Social Tourist como uma das principais contribuintes para o aumento de quase 10% nas vendas de Hollister até setembro de 2021.

Junto com a série no Hulu, Charli e Dixie também estrearam um show no Snap, em novembro. “Charli vs Dixie” apresenta 10 episódios de mini-TV. Nesses, a dupla compete em algo – gastronomia, jogos de tabuleiro – continuando a viver até os momentos mais simples da vida na frente de uma câmera.

Dixie D’Amelio

Dixie pode ser a irmã mais velha, mas muito de sua fama e ganhos, incluindo os negócios de Hollister, Hulu e Snap, ainda se entrelaçam com sua irmã mais popular, Charli. Por algum tempo, Dixie buscou construir sua própria carreira como cantora pop, um esforço deliberado para conter a vibe “girl next door” que alimenta a máquina de marketing D’Amelio.

Em 2021, ela lançou duas canções: “Psycho”, que apresentava a rapper Rubi Rose e alcançou a 25ª posição na parada pop americana da Billboard, e “F-kBoy”, pegando emprestado um termo da Geração Z para um jovem mulherengo. Na época do Natal, Dixie fez uma turnê como parte da série de shows Jingle Ball, subindo ao palco em Dallas, Boston e Chicago.

De casa, ela deu aos fãs acesso não apenas à sua vida familiar, mas também à vida amorosa, enchendo seu Twitter com conversas entre ela e seu namorado Noah Beck, outra estrela de TikTok de alto nível, que parece prestes a se tornar outro parceiro de patrocínio.

Addison Rae

Já para Addison Rae, a maior novidade no ano passado foi seu tempo na Netflix. Ela teve um papel principal em “Ele É Demais”, com uma personagem que não precisou de muita preparação. No filme, Rae interpreta uma estudante do ensino médio com um perfil crescente de mídia social, que transforma um garoto nerd no próximo rei do baile. (É um remake de “Ela É Demais”, um filme de Freddie Prinze Jr. com enredo tão profundo quanto um vídeo do TikTok.)

Quando “Ele É Demais” estreou em agosto, ele ficou brevemente em primeiro lugar no Netflix em 78 países. Um mês depois, a Netflix anunciou um novo contrato com Rae para vários outros filmes, mas não revelou quaisquer outros detalhes.

Longe de Hollywood, Rae tem um contrato lucrativo da American Eagle, uma grande concorrente da Hollister, a empresa que patrocina as D’Amelios. E ela tem sua linha Item Beauty – uma joint venture com a startup de maquiagem Madeby Collective – que vende sua máscara de cílios Lash Snack e outros produtos em lojas como a Sephora.

Bella Poarch

Em pouco mais de um ano, Bella Poarch disparou e tornou-se a terceira pessoa mais seguida no aplicativo (87 milhões de pessoas estão inscritas em sua conta). Tudo começou em agosto de 2020, quando ela postou um vídeo bobo com sincronização labial em “M to B”, uma música de uma rapper britânica, e se tornou o TikTok mais visto em 2020.

Nascida nas Filipinas e criada no Texas, ela gostava de se apresentar e cantar quando criança, mas seus pais não queriam que ela seguisse no show business. Assim, após o colégio, Poarch serviu na Marinha dos Estados Unidos como mecânica de helicópteros.

Mas seus pais não precisavam se preocupar. Os patrocinadores a adoram e, no ano passado, ela fez anúncios para Google, Prada e Tinder. Em maio, Poarch lançou seu primeiro single, “Build a Bitch” – que alcançou a posição 56 na parada pop da Billboard – sinalizando o que ela espera ser sua próxima fase musical.

As marcas não se importam com as brincadeiras de moleque que preenchem o feed do TikTok de Josh Richards: ele conseguiu acordos de patrocínio da Amazon, CashApp e outros. Seu papo é o alimento perfeito em seu podcast “BFFs”, da Barstool Sports, que ele apresenta ao lado do fundador do Barstool, Dave Portnoy. Tópicos anteriores incluíram NFTs, a edição de maiôs da Sports Illustrated, jogos de azar e Leonardo DiCaprio.

Josh Richards

Richards aplicou de bom grado essa aura de festeira ao restante de seu domínio comercial. Suas bebidas energéticas Ani agora são vendidas em redes como o Walmart, e há ainda a empresa de capital de risco Animal Capital, que ele cofundou. O grupo VC levantou US$ 15 milhões e aplicou o dinheiro em tudo, desde PearPop, um aplicativo onde influenciadores podem encontrar colaboradores, até o Colossal, um laboratório de engenharia genética que busca ressuscitar mamutes peludos.

Kris Collins

Como Poarch, Kris Collins é outro exemplo do quão rápido alguém pode acumular fama e dinheiro com o TikTok. Antes da pandemia, Collins era cabeleireira em Vancouver. Quando a Covid-19 tornou o trabalho impossível por um tempo, ela baixou o TikTok – em grande parte por sugestão de seu irmão – e, desde então, montou algo semelhante a um show de comédia.

Ela interpreta uma série de personagens recorrentes, muitos deles baseados em pessoas da sua família, incluindo sua mãe imigrante. Ela conquistou 41 milhões de seguidores, a maioria deles no ano passado, e essas rotinas engraçadas também funcionam bem no YouTube, onde ela tem 4,5 milhões de inscritos. (Isso é um ponto considerável. As coisas normais do TikTok – sincronizações labiais, danças – não são transferidas com sucesso para o YouTube, que recompensa os vídeos mais longos com um pouco mais de profundidade). O humor de Collins é adequado para todas as idades e é atrativo para marcas como Hershey, Lionsgate e Pantene, que a cobriram de patrocínios.

Avani Gregg

No verão de 2019, Avani Gregg tornou-se famosa no TikTok como Clown Girl, postando tutoriais de maquiagem, muitos dos quais a mostravam como uma Harley Quinn de cores vivas – lentes de contato brancas, estrelas vermelhas e azuis cobrindo seu rosto. Naquele mesmo ano, ela largou seu emprego como salva-vidas e se mudou da zona rural de Indiana para Los Angeles.

Na Califórnia, ela foi um dos membros originais do Hype House, o coletivo de influenciadores cuja formação em dezembro de 2019 marcou o início da ascensão do TikTok na cultura pop. Mais recentemente, Gregg conseguiu um papel em uma temporada de Chicken Girls, uma série da web em que ela atua como uma cheerleader do ensino médio, e estrelou seu próprio programa no Snap.

O mundo parece não se cansar de Gregg e essas outras jovens estrelas do TikTok. Na verdade, a venerável editora Simon & Schuster já encomendou uma autobiografia de Gregg. O livro, que saiu em fevereiro passado, é intitulado “Backstory: My Life So Far”.

 

Compartilhe esta publicação: