Ações da Enauta (ENAT3) despencam 7,76% após não encontrar hidrocarbonetos em perfuração de poço

Embora não tenha sido constatada a ocorrência de hidrocarbonetos no poço da Bacia de Sergipe-Alagoas, a empresa realizará estudos complementares.

Amanda Péchy
Compartilhe esta publicação:
Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

A Enauta Energia, controlada da Enauta Participações, possui 30% de participação em nove blocos na Bacia de Sergipe-Alagoas, em ativos em sociedade com as norte-americanas ExxonMobil e Murphy Oil

Acessibilidade


As ações da petroleira Enauta despencam hoje (28) 7,76% às 13h25 (horário de Brasília), em reação ao anúncio da empresa de que não foi constatada ocorrência de hidrocarbonetos no poço exploratório de bloco na Bacia Sergipe-Alagoas (SEAL, prospecto Cutthroat) após a conclusão da perfuração.

A Enauta Energia, controlada da Enauta Participações, possui 30% de participação em nove blocos na Bacia de Sergipe-Alagoas, em ativos em sociedade com as norte-americanas ExxonMobil e Murphy Oil.

“Embora não tenha sido constatada a ocorrência de hidrocarbonetos nesse poço, o consórcio realizará estudos complementares, integrando os dados amostrados à sua interpretação geológica regional, de forma a atualizar sua visão quanto ao potencial exploratório dos blocos situados em águas ultraprofundas na Bacia Sergipe-Alagoas”, disse a companhia.

A Enauta disse que foi “parcialmente carregada pelos parceiros ExxonMobil e Murphy Oil Corporation na perfuração desse poço, conforme acordado nos respectivos acordos de farmout”.

Na semana passada, a Murphy Oil havia dito que a área poderia ter até 1 bilhão de barris de petróleo e gás. A Exxon lidera a exploração na Bacia de Sergipe-Alagoas, com 50% de participação.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Exxon iniciou a atividade de perfuração no prospecto Cutthroat-1 em 20 de fevereiro. Este é o primeiro poço exploratório dos nove blocos que as três empresas mantêm juntas na Bacia de Sergipe-Alagoas. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: