Brasil cria 328,5 mil empregos formais em fevereiro, acima do esperado, segundo Caged

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

Pessoas deixam currículos em ponto de anúncios de vagas de emprego no centro de São Paulo

Acessibilidade


O Brasil abriu 328.507 vagas formais de trabalho em fevereiro, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado hoje (29) pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

O resultado veio bem acima da criação líquida de 210 mil postos projetada por analistas em pesquisa Reuters.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

O dado de fevereiro é fruto de 2,013 milhões de contratações e 1,685 milhão de desligamentos. Foi o segundo melhor resultado para o mês da série iniciada em 2010, perdendo apenas para 2021, quando o saldo foi de 397.915 postos.

O secretário executivo do Ministério do Trabalho e Previdência, Bruno Dalcolmo, afirmou que foi a primeira vez que o total mensal de admissões superou 2 milhões de vagas, considerando a série com declarações feitas dentro do prazo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Dalcolmo ponderou que cerca de 715 mil trabalhadores estavam em período de garantia provisória de emprego em fevereiro após terem jornadas e salários reduzidos ou contratos suspensos.

Apesar de afirmar que ainda não é possível saber se o saldo positivo do mês é estrutural, ele comemorou o número.

“O resultado é consistente com o processo de retomada da economia”, disse.

Para o secretário, como o cenário de aceleração do mercado de trabalho em 2021 foi atípico por conta da recuperação da atividade após a pandemia de Covid-19, dificilmente os próximos dados de emprego formal serão mais fortes que os observados no ano passado.

“É natural que se espere alguma desaceleração no ritmo de contratação em relação ao ano passado, empresas não continuarão contratando nesse ritmo para sempre”, afirmou.

No mês, houve saldo positivo de vagas em todos os setores mapeados. O melhor resultado ficou com serviços, com abertura de 215.421 postos, seguido da indústria, com 43.000. Houve criação de 39.453 empregos formais na construção, 17.415 na agropecuária e 13.219 no comércio.

No recorte regional, o Sudeste criou 162.442 vagas no mês e o Sul abriu 82.898 postos. O saldo ficou em 40.930 no Centro-Oeste, 28.085 no Nordeste e 12.727 no Norte.

No acumulado dos dois primeiros meses do ano, foram abertas 478.862 vagas, sobre criação de 651.756 postos em igual período de 2021.

Com relação ao salário médio de contratação, houve recuo em fevereiro após alta registrada no mês anterior. O valor ficou em 1.878,66, ante 1.939,80 em janeiro.

Na entrevista, Dalcolmo disse que o governo apresentará em breve medida para regulamentar a atividade de trabalhadores de aplicativos, com o objetivo de oferecer inclusão previdenciária e “proteções mínimas”. Outro eixo deve tratar da formalização de trabalhadores rurais e combate ao tráfico de pessoas.

Compartilhe esta publicação: