Preços do petróleo caem com possível liberação recorde de estoques dos EUA

A liberação recorde de 180 milhões de barris pelos EUA equivale a dois dias de demanda global e chegaria ao mercado ao longo de vários meses.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters

Campo de petróleo em Bakersfield, Califórnia, EUA.

Acessibilidade


Os preços do petróleo despencavam hoje (31) com a notícia de que os Estados Unidos estavam considerando uma liberação recorde de sua reserva estratégica do produto, enquanto a Opep+ decidiu manter o acordo atual para a produção de maio.

Os contratos futuros de petróleo Brent para maio, que expiram na quinta-feira, caíam cerca de 5 dólares, ou 4,35%, para 108,50 dólares por barril às 11h54 (horário de Brasília)

Já o petróleo dos EUA (WTI) para entrega em maio recuava mais de 4 dólares, para 103,70 por barril, no mesmo horário.

A liberação recorde de 180 milhões de barris pelos EUA equivale a dois dias de demanda global e chegaria ao mercado ao longo de vários meses, disseram quatro fontes norte-americanas nesta quarta-feira.

“Uma liberação gradual de 1 milhão de barris de petróleo está prevista para os próximos seis meses, um sinal de que não se espera uma solução rápida para a crise na Ucrânia, que reduziu o fornecimento de petróleo”, disse Susannah Streeter, analista sênior de investimentos e mercados da Hargreaves Lansdown.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Enquanto isso, a Organização dos Paísedrs Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+), que inclui a Rússia, concordou em uma reunião nesta quinta-feira em manter seu acordo existente e aumentar a meta de produção de maio em 432.000 barris por dia (bpd).

Compartilhe esta publicação: