CEO da Rivian, de veículos elétricos, alerta para problemas na cadeia de suprimentos

Os fornecedores de chips estão céticos quanto à capacidade da Rivian de atingir os números de produção prometidos.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reprodução
Reprodução

O presidente-executivo da Rivian, R.J. Scaringe

Acessibilidade


A Rivian precisa vender muito mais vans elétricas e picapes para dar impulso às suas ações e financiar seus ambiciosos planos de crescimento de longo prazo, mas a startup está tendo problemas para comprar as peças.

Os fornecedores de chips estão céticos quanto à capacidade da empresa de atingir os números de produção prometidos e estão alocando mais chips para clientes estabelecidos com base no número de veículos que projetaram no passado, disse o presidente-executivo da Rivian, R.J. Scaringe.

Scaringe acha que os fornecedores estão imaginando que a Rivian pode estar usando a escassez de semicondutores como desculpa para encobrir problemas de produção mais sérios. “É realmente frustrante”, disse ele.

VEJA TAMBÉM: Departamento de Comércio dos EUA diz que escassez de chips persistirá

As ações da Rivian caíram 60% até agora este ano e caíram mais de 70% em relação ao pico alcançado logo após ao IPO (oferta inicial de ações) de novembro de 2021. As ações caíram fortemente em março, depois que a Rivian cortou a previsão de produção para 2022 pela metade, para 25 mil veículos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O aumento dos custos das matérias-primas está aumentando a pressão. No início de março, a Rivian tentou aumentar os preços em até 20% para os veículos já encomendados. Os clientes reclamaram, a empresa mudou de rumo e Scaringe pediu desculpas.

Agora, uma das principais prioridades para Scaringe e outros executivos é convencer os executivos de fornecedores de que a fábrica e sua força de trabalho estão prontas para acelerar.

A Rivian opera dois sistemas de montagem de veículos amplamente separados dentro da fábrica. Uma está construindo dois tipos de vans elétricas para a Amazon. O outro monta picapes e SUVs elétricos da série R1, que são vendidos por US$ 67,5 mil (R$ 318 mil) a US$ 95 mil (R$ 447 mil). Antes do aumento de preço, o veículo Rivian mais caro custava US$ 83 mil (R$ 391 mil).

A montadora agora está projetando e entregando caminhões R1 e SUVs aos clientes e montando vans para a Amazon testar. No primeiro trimestre, a Rivian montou uma média de cerca de 40 veículos por dia – menos de uma hora de produção se a fábrica estivesse funcionando a toda velocidade.

Scaringe disse à Reuters que mais aumentos de preços são inevitáveis, e não apenas na Rivian, devido à combinação de escassez de peças e aumento das matérias-primas.

Compartilhe esta publicação: