Metas trimestrais com Argentina serão revisadas por impacto da guerra na Ucrânia, diz porta-voz do FMI

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


WASHINGTON/BUENOS AIRES (Reuters) – As metas trimestrais da Argentina no acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) serão revisadas para refletir o impacto da guerra na Ucrânia, disse nesta quinta-feira o porta-voz do FMI, Gerry Rice.

As metas anuais do programa não mudarão, disse Rice a repórteres.

A Argentina fechou em março um programa de crédito de 44 bilhões de dólares no qual se comprometeu a aumentar as reservas do banco central, baixar a inflação e cortar os subsídios, entre outras coisas.

Na véspera, o FMI disse que todas as metas quantitativas do programa para o primeiro trimestre de 2022 haviam sido atingidas, liberando o país para receber 4,03 bilhões de dólares.

“Não há contratempos nos desembolsos, todos os prazos previstos foram cumpridos”, disse o ministro da Economia argentino, Martín Guzmán, em declarações em rádio.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“O programa econômico que tivemos que negociar com (o) FMI para renegociar a dívida está sendo cumprido”, disse ele.

O acordo revisado está sujeito à aprovação da diretoria, que é esperada nas próximas semanas.

(Reportagem de Jorgelina do Rosario em Washington e Walter Bianchi em Buenos Aires)

Compartilhe esta publicação: