Metade da inflação de junho da zona do euro veio da energia

Segundo a Eurostat, preços ao consumidor nos 19 países do euro subiram a taxa recorde de 8,6% no mês passado

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters

Os preços da energia contribuíram com 4,19% para a leitura da inflação na zona do euro

Acessibilidade


Quase metade da inflação recorde na zona do euro em junho resultou do pico dos preços da energia, disse a agência de estatísticas da União Europeia hoje (19), seguido de alimentos e serviços mais caros.

A Eurostat confirmou sua estimativa anterior de que os preços ao consumidor nos 19 países que compartilham o euro subiram 8,6% em junho na base anual, marcando outro salto recorde após aumentos de 8,1% em maio e 7,4% em abril.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Os preços da energia contribuíram com 4,19 pontos percentuais para a leitura geral anual; alimentos, álcool e tabaco com mais 1,88 ponto; e serviços, com 1,42 pontos, informou a Eurostat.

A maior taxa de inflação anual na zona do euro foi registrada na Estônia, onde os preços subiram 22% em junho. A Lituânia teve uma inflação de 20,5%, a Letônia de 19,2% e a Eslováquia, de 12,6%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O aumento dos preços foi mais fraco em Malta com 6,1%, na França com 6,5% e na Finlândia com 8,1%. A taxa de inflação na Alemanha foi de 8,2%.

Compartilhe esta publicação: